Renato Gaúcho pede demissão e deve sair do Grêmio

Após empatar com o Avaí, vice-lanterna do Campeonato Brasileiro, e amargar uma série de quatro partidas sem vencer, o técnico Renato Gaúcho pediu demissão aos dirigentes do Grêmio. 

Uma reunião nesta quinta-feira entre o presidente Paulo Odone e o vice de futebol Antônio Vicente Martins deve oficializar a saída do treinador. Eles também pretendem estudar nomes para assumir o comando do tricolor no restante do torneio. O uruguaio Diego Aguirre, vice campeão da Libertadores com o Peñarol, Celso Roth, Cuca e Adilson Batista são alguns dos cotados.

Em entrevista coletiva concedida após a partida desta quarta-feira, Odone já havia afirmado que Renato não estava garantido no cargo. Segundo ele, o grêmio precisaria de mudanças urgentes para reagir no campeonato o mais rapidamente possível. 

"Ele um ídolo, mas não tem cadeira cativa no Grêmio, e nem o Grêmio tem cadeira cativa com ele. Agora o desgaste do treinador com time grupo e jogadores é normal. Já passei por várias situações, com o mesmo treinador, mudando treinador. Vamos esfriar a cabeça, e amanhã [hoje] vamos divulgar o que será feito", disse

Renato deve ir ao Estádio Olímpico nesta quinta-feira para se despedir dos jogadores. Ele está à frente do Grêmio desde agosto de 2010, tendo comandado a equipe em 50 partidas. Com ou sem o treinador, a equipe volta à campo na próxima quarta-feira para enfrentar o Cruzeiro, em Sete Lagoas, pela sétima rodada do Brasileirão.