Mães comparecem ao Pacaembu para acompanhar final

M  primeiro jogo das finais do Campeonato Paulista foi marcado para o segundo domingo de maio, data na qual se comemora o Dia das Mães. Não por acaso, as arquibancadas do Estádio do Pacaembu foram tomadas também por filhos que trouxeram as matriarcas, que se dividiram nas torcidas entre Corinthians e Santos.

A corintiana Cássia Monteiro, 48 anos, foi uma dessas mamães presentes à primeira partida da decisão. Orientadora educacional, ela ganhou o ingresso para a partida de presente do filho Mário Caselli, 21 anos, estudante universitário.

"Pior que foi presente mesmo", riu Cássia, presença constante nas partidas do time do coração, com o filho ou com a torcida organizada que acompanha. "Venho com ele, ou com o pessoal da quadra", explicou.

Unidos pela paixão corintiana, mãe e filho também mostraram sintonia no otimismo. Perguntado sobre o palpite para o jogo, Mário previu um resultado elástico. "Uns 3 a 0 Corinthians", disse ele. A mãe também esbanjou: "Vai ser 4 a 0. Não, 4 a 1 - deixa o Neymar fazer o dele", apostou Cássia, projetando Dentinho como o nome do jogo.

A opinião era semelhante à de Fátima Mansur Maia, também corintiana. "É maravilhoso passar o Dia das Mães com a família aqui, ainda mais para assistir ao nosso Corinthians jogar. É sempre um prazer", disse ela.

Já a santista GilzaMarra encarou a viagem entre Santos e São Paulo para torcer por Neymar, Paulo Henrique Ganso e companhia na companhia do filho. "Meu filho mora em Porto Alegre, mora longe de mim. Até por isso decidi subir a serra para ver o Santos jogar. Vale a pena para esquecer as saudades", afirmou.