Djokovic bate Bellucci, frustra "sonho brasileiro" e vai à final em Madri

Novak Djokovic derrotou neste sábado o brasileiro Thomaz Bellucci e frustrou as esperanças dos que esperavam ver um tenista nacional voltar decidir um torneio Masters 1000 (o último a conseguir isso foi Gustavo Kuerten, em Indian Wells 2003). O atual número 2 do mundo cofirmou seu favoritismo e bateu em três sets, parciais de 4/6, 6/4 e 6/1, o melhor tenista do Brasil (36° da ATP).

O triunfo de Djokovic foi o 31° desde o começo do ano (terceira melhor marca na história do tênis profissional) e o 33° desde o ano passado. O número 2 do mundo terminou a temporada passada com duas vitórias pela equipe da Sérvia na Copa Davis.

Na final, Bellucci enfrenta o espanhol Rafael Nadal, que bateu na semifinal o suíço Roger Federer. A decisão, que acontece neste domingo, vai colocar frente a frente o melhor tenista do ano com o número 1 do mundo, além de contrapor duas das mais impressionantes sequências de vitórias do tênis mundial na atualidade.

Djokovic venceu todos os cinco torneios que disputou em 2011, ao passo que Nadal não perde uma competição no saibro desde junho de 2009, quando foi eliminado de Roland Garros pelo sueco Robin Soderling, nas quartas de final.

O jogo

Bellucci começou o jogo cauteloso sem exagerar nos ataques. Desta forma, o brasileiro conseguiu equilibrar o primeiro game, chegando estar empatado em 40/40. Mesmo assim, Djokovic sacou bem e confirmou seu serviço.

O jogo se encaminhava bem para o brasileiro, que incomodava Djokovic no saque do sérvio e jogava consistentemente em seu serviço. Apesar da diferença de ranking entre os dois, Bellucci equilibrava as trocas de bolas entre os dois alternando bolas com muito efeito no forehand e ataques chapados de backhand.

Primeira quebra

A primeira quebra da partida não demorou a acontecer. Muito mais agressivo, o brasileiro colocava Djokovic para correr de um lado para o outro, dominando os pontos até que no terceiro game da partida o paulista de Tietê conseguiu a primeira quebra da partida, com uma bola vencedora de direita.

Com a quebra a confiança do brasileiro foi às alturas e Bellucci, no máximo de sua intensidade, não deu chances ao sérvio, confirmando todos os seus serviços e fechando o primeiro set em 6 a 4, impondo ao imbatível Djokovic a primeira perda de set no torneio.

Segundo set

O segundo set começou equilibrado, assim como o primeiro, com Bellucci sacando bem e conseguindo se impor em seu serviço. Nos momentos em que esteve por baixo, como no segundo game do set, ao sacar em 0/40, o brasileiro reagiu, fazendo seis pontos seguidos para confirmar seu serviço.

A vitória deu moral para o brasileiro que, em seguida conseguiu mais uma quebra para abrir 2 a 1. O bom desempenho nos pontos importantes era fundamental para o sucesso de Bellucci, que embora jogasse bem, se viu em dificuldades em vários instantes, como o quarto game, em que esteve empatado 40/40, e conseguiu confirmar seu serviço com uma bola que tocou a rede e caiu do outro lado.

Djokovic, que na sexta-feira derrotou em partida extenuante o espanhol David Ferrer (2h28), parecia cansado, e a vitória parecia uma questão de tempo. Mesmo assim, o sérvio reagiu e conseguiu uma quebra no sexto game, para empatar a partida.

A quebra, que poderia amenizar a intensidade de Bellucci, pouco interferiu no jogo do brasileiro, que seguiu jogando bem, confirmando seus serviços e esperando uma nova oportunidade para quebra.

Essa chance, porém, não apareceu para o brasileiro, mas sim para Djokovic, que quebrou o saque de Bellucci no décimo game do set, empatando a partida.

Terceiro set

A derrota no segundo set desanimou Bellucci, que perdeu a intensidade, e virou presa fácil para o melhor do mundo do mundo na atualidade. Logo no terceiro game, Bellucci, apático teve seu saque quebrado.

Com uma quebra abaixo e sem a agressividade dos dois primeiros sets, Bellucci não resistiu e a sucumbiu ao melhor jogo de Djokovic, encerrando, assim, sua participação em Madri e o "sonho brasileiro" de ver um tenista voltar a vencer entre os melhores da ATP.