Tirone defende Marcos e Felipão e diz: "é hora de juntar os cacos"

O presidente do Palmeiras, Arnaldo Tirone, saiu em defesa do goleiro Marcos e do técnico Luiz Felipe Scolari depois da humilhante derrota para o Coritiba por 6 a 0 na noite da última quinta-feira, pelas quartas de final da Copa do Brasil. O mandatário disse que o treinador alviverde é unanimidade na diretoria e na torcida e afirmou ainda que o arqueiro Marcos, que deu declarações polêmicas após o revés, tem todo direito de reclamar por ser "um grande jogador e um grande palmeirense".

"Possibilidade numérica existe (de reverter o placar no jogo de volta), mas é muito difícil fazer sete gols. É praticamente impossível. O importante é jogar bem e não podemos nos abater. Falei com o Felipe (Scolari) por telefone e disse que estava com ele, que estávamos juntos. Agora temos que tentar pegar os cacos", afirmou Tirone, em entrevista..

O presidente palmeirense fez questão de defender o goleiro Marcos, que chegou a afirmar que se fosse para ser humilhado era melhor ter adiado seu retorno. Apesar disso, Tirone deu "carta branca" ao arqueiro e disse que o camisa 12 se deixa levar pela emoção.

"Não achei estranho (volta do Marcos). Ele já vinha treinando e uma hora ele tinha que entrar, infelizmente entrou ontem em um jogo adverso. Ele é contratado, está lá e poderia ter entrado em qualquer momento. O Marcos é muito sincero, fala muitas vezes no emocional e a gente aceita porque é um grande jogador, um grande palmeirense e temos que aceitar", disse.

Sobre o técnico Felipão, Tirone afirmou que o cargo do treinador jamais esteve ameaçado e garantiu a permanência até o fim do contrato. O presidente confessou que a pressão cairá sobre seus ombros e sobre os do treinador, mas que seguirá firme em sua filosofia. "Até domingo estávamos sendo elogiados, ou melhor, até ontem. Mas ontem aconteceu esse desastre, mas o técnico é o Scolari e a pressão vai existir. Eu considero ele uma unanimidade, não só no Palmeiras, mas na torcida também. Mudanças a gente sempre tem que fazer para melhor", completou, antes de explicar o que será feito daqui para frente.

"Estamos analisando para dar uma melhorada no elenco. O Danilo vai embora e vamos trazer um zagueiro. Precisamos de reforços para o Brasileiro. O Cicinho não jogou, o zagueirio não jogou, o Valdivia não jogou, teremos o Maikon Leite no ano que vem. Temos aí alguns meses para preaparar a equipe para o Brasileiro", concluiu.