Zangado, Renato Gaúcho justifica substituição de Leandro

Apesar da classificação para a semifinal do segundo turno do Campeonato Gaúcho, Renato Gaúcho, técnico do Grêmio, mostrava um semblante zangado, raramente visto desde que assumiu o time. No tempo normal, o seu time não passou do 1 a 1 com o Ypiranga. O avanço veio na vitória por 4 a 2 nos pênaltis, em Erechim. O contexto não é bom. As atuações estão abaixo do esperado e coletivamente a equipe não tem funcionado.

A entrevista coletiva foi em tom sério, por vezes agressivo, em nenhum momento fez brincadeiras como ocorre frequentemente. Apesar de ser ídolo eterno do clube, alguns murmúrios começam a surgir. Na derrota para o Oriente Petrolero, Renato optou por colocar o lateral Gabriel no lugar do meia Douglas, que gripado, não viajou.

Diante do Ypitanga, o treinador optou por tirar o garoto Leandro, o melhor em campo, para colocar Lins, no segundo tempo. Além de vaias, alguns gritos de "burro" apareceram. Indagado sobre o ocorrido, o comandante gremista esbravejou. "Quem me chamou de burro? São torcedores do Ypirnga ou secadores do Internacional", esbravejou.

Demonstrando nenhuma paciência durante os 11 minutos em que esteve cercado pelos microfones. Ainda em tom forte, ele explicou os motivos para efetuar a troca, disparando em direção à imprensa.

"Para os entendidos antes de criticar, é preciso saber o que o treinador pensa. O garoto tem 17 anos e o jogo tinha tudo para ir para os pênaltis. O Borges é batedor oficial de pênaltis. Tem que pensar um pouco mais além. Não vou soltar a responsabilidade em cima de um garoto de 17 anos para que seja queimado. Sou muito inteligente e estava pensando na frente", rebateu.

O empate no tempo normal eleva para quatro jogos a série sem vitória como visitante. No sábado, o Grêmio enfrenta o Cruzeiro pela semifinal. Se vencer o segundo turno, o Tricolor será campeão antecipado.