Muricy sobre Neymar: "temos que cuidar do emocional do garoto"

SÃO PAULO - O técnico Muricy Ramalho, que assume o Santos nesta quinta-feira, demonstrou certa insatisfação com o que aconteceu na Vila Belmiro nesta quarta, durante vitória por 3 a 2 contra o Colo Colo. O treinador afirmou que a equipe deveria ter um pouco mais de calma, prometeu conversar com o elenco sobre a "carga emocional" e ainda disse que tem que cuidar da "parte emocional do garoto" Neymar, expulso após comemoração de gol.

"Temos que passar pouco a pouco o aprendizado ao Neymar, mas com certeza temos que cuidar da parte emocional do garoto, porque às vezes faz diferença. Um jogo já resolvido se complicou. Mas fora isso, o time foi muito bem", disse o comandante. Neymar recebeu o cartão vermelho após colocar uma máscara durante a celebração de seu tento, o terceiro santista no embate.

Além do camisa 11, ainda foram expulsos o atacante Zé Eduardo e o meio-campista Elano. O primeiro foi mandado embora depois de entrar em conflito com o rival Scotti, também punido com o vermelho. O segundo foi expulso depois de atirar uma toalha no campo, quando já estava no banco de reservas, substituído.

"É um time muito bom, mas não pode perder o controle dessa maneira, tem que ter calma. Temos que conversar sobre a carga emocional, não pode perder assim, ser expulso desse jeito. Não pode transformar todo jogo em uma guerra. Vou falar para eles que temos que melhorar na parte emocional um pouco", acrescentou Muricy.

Agora, o próximo compromisso do Santos na Copa Libertadores é contra o Cerro Porteño, no dia 14, em Assunção. Qualquer tropeço elimina a equipe brasileira do torneio continental. O time paraguaio é o líder do Grupo 5 com oito pontos, enquanto o clube santista é o terceiro, com cinco. O vice é o Colo Colo, com seis, enquanto o Deportivo Táchira ocupa a lanterna, com dois.

"Tínhamos três machucados, Arouca, Diogo e Charles, agora mais três suspensos, e ainda tirando os dois goleiros reservas, que não jogam na linha, o plantel ficou bem reduzido. Temos que ter paciência e armar bem o time. Sabemos que vai ser uma parada muito dura lá em Assunção", completou Muricy Ramalho, preocupado com o futuro do Santos na Libertadores.