Automobilismo: após críticas, Todt evita confronto com Ecclestone

O presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt, declarou nesta terça-feira que não está disposto a entrar em uma guerra de palavras com Bernie Ecclestone, detentor dos direitos comerciais da categoria.

Recentemente, ao criticar as regras que serão aplicadas aos motores a partir de 2013, o presidente da FOM (Formula One Management) classificou o francês como "um pobre homem de Max Mosley", em referência ao antecessor de Todt no cargo na FIA, com o qual também já teve problemas.

Ao jornal inglês Financial Times, Todt foi político: disse que as fabricantes concordaram com as novas regras e que o Conselho Mundial, do qual o próprio Ecclestone faz parte, aprovou por unanimidade. Além disso, admitiu que se sentiu confrontado com as declarações do inglês, mas que uma discussão neste momento seria perda de tempo.

Em 2013, os motores 1.6 turbo quatro cilindros, os chamados "propulsores ecológicos", substituirão os atuais 2.4 litros V8. Para Ecclestone, a mudança não tem nada a ver com a Fórmula 1 e se aplicaria apenas a competições de carros de turismo