Lenda da natação prevê fracasso de Thorpe em Londres

WASHINGTON - O americano Mark Spitz, um dos maiores nomes da história da natação, comentou o retorno do australiano Ian Thorpe às piscinas com tom de desconfiança. "Ele não vai se classificar para o time olímpico só porque é Ian Thorpe. Ele parou por quatro anos, o que é muito tempo na minha opinião", disse à BBC.

"As consequências da sua decisão e as responsabilidades que terá nos próximos 18 meses não serão nada fáceis", completou Spitz, que conquistou sete ouros nos Jogos Olímpicos de Munique, em 1972, feito somente superado pelo americano Michael Phelps na última Olimpíada (Pequim, 2008).

Spitz se retirou do esporte com apenas 22 anos. Em 1991, no entanto, aceitou uma proposta para voltar e arriscar a classificação para os Jogos de Barcelona, no ano seguinte. Após diversas tentativas, o americano não conseguiu o índice.

"Para competir nos 100 e 200 m (livre), Thorpe terá de estar entre os seis melhores da Austrália. Mas os nadadores locais não vão dizer: 'vamos abrir um espaço para ele'. Todos vão lutar por suas vagas também", afirmou Spitz à rede britânica.

"O retorno com certeza significa algo para ele, pois foi essa sua escolha. Acho que é ótimo para o esporte e para Thorpe também. Mas quem sabe o que vai acontecer?", finalizou o americano.