Corinthians prevê acordo entre redes para evitar cisão no Brasileiro

 

A decisão anunciada por Corinthians, Botafogo, Flamengo, Fluminense, Vasco e Coritiba de negociar separadamente do Clube dos 13 os direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro a partir de 2012, deu brecha para uma série de especulações sobre o futuro do futebol brasileiro. Uma cisão da principal competição nacional não está descartada, mas Andrés Sanchez crê em um acerto entre as emissoras e clubes para evitar isso.

"Tudo o que for feito daqui para frente tem que ser com a benção da CBF e da Fifa. Ninguém pode fazer nada sem comum acordo. Acredito que não vá haver dois campeonatos separados, mas vai ter acordo entre as redes para poder transmitir os jogos. É democracia", afirmou o presidente do Corinthians, em entrevista na tarde desta quinta-feira.

Se dois clubes que fecharam contrato com redes de televisão diferentes se enfrentarem, o confronto entre ambos no Campeonato Brasileiro simplesmente não seria transmitido, consequência que Andrés aceita para manter a independência nas negociações em relação ao Clube dos 13. ¿Se tiver que ser assim para tentar mudar o futebol brasileiro, é assim que vai ser¿, disse o dirigente.

"Espero que sejam pessoas inteligentes que cuidem disso. Vamos ver o que acontece primeiro para depois ver a melhor maneira. Não queriam democracia? Então todo mundo tem direito. Se uma pagou para um e outra para outro, que entrem em acordo. Isso é democracia", reforçou. Defensor do sistema de pontos corridos para o Brasileiro, Andrés não descarta a criação de um novo campeonato, mas antes espera mudanças.

"Não sei se é uma Liga. Se tivéssemos uma associação que vendesse produtos, trabalhando pelo calendário e pelos clubes... Temos que acertar esse calendário, ter datas em agosto para excursões, pré-temporada maior. Talvez a gente faça isso dessa maneira brusca. Só o tempo vai dizer se teremos uma nova Liga. Não tenho isso programado", afirmou o presidente do Corinthians.