Dagoberto sela reconciliação com Carpegiani e torcida do São Paulo

SÃO PAULO - O retorno de Dagoberto ao São Paulo - após discussão pública com o técnico Paulo César Carpegiani - foi considerado positivo pelo treinador na vitória por 3 a 2 contra a Portuguesa neste domingo, no Canindé. O placar construído pela equipe do Morumbi contou com a participação decisiva do atacante, que fez duas assistências, iniciou a jogada que resultou no gol de falta de Rogério Ceni, e criou parte das melhores chances da equipe.

"A equipe que vi está beirando o que temos de melhor. O Dagoberto sempre esteve bem, mas se equivocou com aquele momento de histeria, o que não pode acontecer. Mas o que houve de mais importante foi a conversa que tivemos logo depois daquele jogo", disse o treinador, se referindo à partida conta o Linense, no último dia 3 de fevereiro. "Gosto do jogador e parte da recuperação dele no São Paulo aconteceu após a minha chegada", afirmou.

A polêmica aconteceu durante o segundo tempo do confronto com o Linense, quando Carpegiani mandou Dagoberto deixar de jogar pelo lado direito e ir para a esquerda. O atacante, então, gesticulou em direção ao técnico, que publicamente se irritou. Na ocasião, a transmissão televisiva registrou Carpegiani chamando o atacante de "bobalhão". Na véspera da partida seguinte - derrota de 2 a 1 do São Paulo para o Botafogo de Ribeirão Preto -, Dagoberto alegou uma contusão e não foi relacionado para a partida. O treinador disse que se o jogador recebesse uma proposta para deixar o clube não se oporia.

Ainda no gramado do Canindé, Dagoberto também se mostrou satisfeito com o seu desempenho. "Foi uma partida muito disputada e eu consegui me movimentar bem. Foi uma vitória convincente", afirmou. Contra a Portuguesa, ele foi obediente taticamente, assimilando as exigências do técnico. Porém, foi uma das poucas escapadas pelo lado esquerdo que resultou no primeiro gol, quando ele levantou a bola na área e encontrou o atacante Fernandinho livre, pela direita, que marcou de cabeça.

Desde o início da partida contra a Portuguesa, Dagoberto não teve vida fácil. Marcado pelo zagueiro Domingos, o são-paulino teve de deixar o campo por três minutos, quando a partida ainda estava empatada por 0 a 0, para atendimento médico, depois de um choque entre ambos. O atacante do São Paulo sofreu um corte no supercílio e passou o resto do jogo com uma atadura na cabeça.

Ainda no primeiro tempo, foi dele o passe para Fernandinho, que ao tentar escapar de Domingos, foi derrubado. Na cobrança, o goleiro Rogério Ceni ampliou a vantagem do São Paulo. No segundo tempo, a superioridade são-paulina e a busca da Portuguesa pelo primeiro gol, fizeram com que Dagoberto ficasse encarregado de puxar os contra-ataques do São Paulo e tentasse algumas finalizações, sem sucesso.

Após o primeiro gol da Portuguesa, em cobrança de pênalti do atacante Héverton, e com o São Paulo sofrendo pressão, Dagoberto, ao lado do banco do São Paulo, levantou a bola na área para a conclusão de cabeça do estreante zagueiro Rhodolfo, que fez o terceiro.

Imediatadamente o atacante se virou para o banco do São Paulo e deu sinais públicos de que o pior já passou. Foi cumprimentar Carpegianni, que prontamente o recebeu. Substituído aos 41 minutos do segundo tempo, ouviu aplausos da torcida são-paulina, em maioria no Canindé, selando a reconciliação. Logo depois a Portuguesa ainda diminuiria o placar e por pouco não chegou ao empate, quando Rogério Ceni mandou a bola para escanteio, após uma cobrança de falta da meia-lua da grande área. Eram 45min do segundo tempo.