Corinthians oficializa adeus de R. Carlos e economiza até R$ 4 milhões

É oficial: Roberto Carlos não é mais jogador do Corinthians. A rescisão de contrato, solicitada pelo jogador, foi confirmada pelo presidente corintiano Andrés Sanchez na manhã deste sábado. Roberto, 37 anos, deixa o Parque São Jorge após um ano e um mês de serviços prestados alegando insegurança por ameaças de facções organizadas ligadas ao clube, mas é certo que tem em mãos propostas financeiramente mais vantajosas em mãos.

O Corinthians não se opôs ao pedido de saída de Roberto Carlos. Sem o lateral, que tinha contrato até o fim de 2011, a economia nos cofres do clube deve chegar perto de R$ 4 milhôes, já que os salários de Roberto beiravam R$ 400 mil mensais. Andrés Sanchez disse que o clube não recebe nada pela rescisão de contrato, mas também não paga nada para Roberto.

"Não estou decepcionado porque o futebol é dinâmico. Não será o primeiro e nem o último. Demos segurança, mas fora daqui é a sociedade, o Estado. Tem proposta muito boa fora e resolvemos liberar", confirmou Andrés Sanchez.

Além da questão financeira, há dois motivos que colaboraram para o Corinthians abdicar do contrato com Roberto Carlos. O principal deles foi o desempenho irregular nos últimos meses, motivados também por problemas físicos de Roberto desde o returno do Campeonato Brasileiro.

A outra razão que faz o Corinthians liberar o jogador é sua relação desgastada com a comissão técnica, especialmente depois de não enfrentar o Tolima, na Colômbia, pela pré-Libertadores. Na ocasião, foi definido de comum acordo que Roberto Carlos, com problemas físicos, não atuaria, apesar de ter viajado a Ibagué. Para a imprensa, porém, Roberto disse não ter atuado por decisão de Tite. Ao todo, ele participou de 64 jogos com o Corinthians e marcou cinco gols.