Novos reforços são atrações para o Ba-Vi de domingo

 

Há três dias do primeiro Ba-Vi do ano, treinadores de ambas equipes apostam em novos nomes dos elencos. Quem manda no retrospecto no Barradão, local da partida deste domingo, às 17h (de Brasília) é o time visitante, o Bahia. São cinco anos sem triunfos do Vitória no estádio. Durante esse período, foram nove clássicos, com seis vitórias do Bahia e três empates. A última conquista do time rubro-negro no estádio Manoel Barradas foi em janeiro de 2006.

Para tentar mudar essa realidade o técnico Antônio Lopes decidiu colocar o meia-atacante Elkeson no lugar de Felipe. O meia, que ficou no banco nos últimos três jogos, tem boas recordações em jogos contra o Bahia. No último disputado, em maio do ano passado, na segunda partida da final do campeonato baiano, o garoto de 21 anos balançou a rede uma vez. O Vitória saiu derrotado na partida por 2 a 1, mas como poderia perder por até um gol de diferença, consagrou-se campeão baiano.

Além de Elkeson, Lopes também aposta no lateral-direito Romário, que manda Nino Paraíba para o banco. "Romário tem se apresentado bem nos treinos e fez uma boa partida contra o Bahia de Feira", justifica Lopes.

Neto Baiano e Pedrão podem ser outras duas opções para o treinador. No treino de ontem ambos os jogadores agradaram o técnico.

Enquanto o Vitória tentar reverter a desvantagem nos clássicos jogados dentro do Barradão, o Bahia quer manter a vantagem.

Em penúltimo lugar na competição, com apenas quatro pontos e 33,3% de aproveitamento, o clube tricolor tem o retorno de Souza, que espera se reconciliar com a torcida fazendo gols, inclusive, para homenagear o seu pai, falecido em dezembro do ano passado. Souza não entra em campo há duas rodadas porque estava melhorando o condicionamento físico. Com a saída de Jael, o atacante agora vai ter que se esforçar mais ainda para trazer novas alegrias para a torcida.

Além dele, o atacante Gabriel, que chegou ao Fazendão em 2009 e já foi campeão nos juniores, é uma das promessas para ajudar o Bahia a levantar o troféu do campeonato baiano e quebrar o tabu de nove anos sem títulos no estadual.