Rivaldo se licencia do cargo de presidente do Mogi Mirim

Dois dias antes de sua estreia com a camisa do São Paulo, o meia Rivaldo decidiu se licenciar do cargo de presidente do Mogi Mirim. Em informação divulgada pelo site oficial do clube da capital paulista, o jogador afirmou que deixa a administração do time interiorano nas mãos do vice-presidente, Wilson Bonetti.

De acordo com o comunicado, o Mogi Mirim protocolou na Federação Paulista de Futebol o pedido do afastamento/licenciamento de Rivaldo do cargo de dirigente. A decisão foi tomada a despeito da legalidade da questão - não há leis que impeçam o meia de atuar por um clube e presidir outro ao mesmo tempo.

O afastamento do cargo já havia sido sugerido pela diretoria do São Paulo durante as negociações para o acerto com Rivaldo. Apesar disso, ele deve continuar intimamente ligado com os bastidores do Mogi Mirim - em sua apresentação, ele havia defendido a permanência no cargo.

"Se eu me afastasse da presidência continuaria por trás do mesmo jeito. Fui eu que investi por três anos, eu que estava aí. Se alguém mostrar uma lei que disser que preciso sair, saio tranquilamente", disse Rivaldo, na ocasião.

Apesar do afastamento, a cláusula contratual que proíbe Rivaldo de enfrentar o Mogi Mirim em caso de confronto entre os times continua valendo. As equipes já se encontraram na primeira fase do Estadual: o hexacampeão brasileiro venceu por 2 a 0, na primeira rodada. Na época, o meia não havia acertado transferência e dependia de regularização para jogar pelo Mogi.