Ilsinho supera 3 lesões seguidas e tenta ser útil após 5 meses

Ilsinho começou a treinar no São Paulo nos primeiros dias de agosto. Foi confirmado reforço e apresentado no começo de setembro, teve 19 rodadas do Campeonato Brasileiro e cinco do Campeonato Paulista para jogar, mas não conseguiu se mostrar útil aos treinadores que lhe dirigiram. Bem cotado para ser titular contra o Linense, nesta quinta-feira, ele tenta superar um histórico recente bastante ruim no que diz respeito à parte física.

Desde que chegou ao São Paulo, Ilsinho, 25 anos, teve uma entorose no tornozelo direito e duas contraturas musculares, uma em cada coxa. Agora, se diz 100% para tentar emplacar uma boa sequência. "O Paulo (Carpegiani) praticamente me proibiu de jogar no sacrifício. Só me queria 100%. Parei algum tempo, estou sem dores e completei minha pré-temporada. Fiz um trabalho de força e agora estou legal", disse ele nesta quarta-feira.

Em 11 jogos disputados desde o retorno ao São Paulo, Ilsinho só conseguiu completar 90 minutos uma vez. Entre sua despedida no Shakhtar, clube do qual saiu por litígio, e a reestreia com a camisa são-paulina, foram quatro meses sem jogar. O jogador atribui a má forma física à preparação que recebia na Ucrânia.

"Fazíamos treinamentos físicos, mas trabalhávamos pouco a força. Aqui (no Brasil) o calendário é mais cheio e, estando fraco, você joga um ou dois jogos e pode acabar se machucando. Eu treinava muito, mas sem qualidade", comenta.

A indefinição a respeito de seu papel dentro da equipe também atrasa a reafirmação de Ilsinho, nome fundamental para o título brasileiro de 2006. Carpegiani se recusa a testá-lo em uma linha defensiva com quatro jogadores, como atuou em sua primeira passagem pelo São Paulo. Com isso, ele só pode ser ala, em um sistema de três zagueiros, ou jogar no meio-campo, onde ainda não brilhou no futebol brasileiro.

"O meia joga muito de costas e isso não é minha especialidade, mas você pode cair pelos dois lados e se desmarcar mais facilmente. O lateral precisa marcar muito, o que foge das minhas características, mas às vezes assim você pode surpreender mais. Sendo ala, você ataca e defende muito, e precisa ter um preparo físico bom, mas às vezes recebe a bola no mano a mano", avalia o jogador.

Com contrato até o fim deste semestre, Ilsinho tenta provar que pode permanecer. Assim como Xandão e Fernandinho, dois jogadores que ainda não se firmaram, ele tem os direitos federativos e econômicos ligados à Traffic. "Fiz força para acertar e, se depender de mim, fico mais tempo por aqui", promete.