Ney ignora favoritismo, elogia fôlego e vê vitória em mudança tática

A goleada por 5 a 1 diante do Chile, na madrugada desta terça-feira, coloca o Brasil na condição de favorito ao título do Sul-Americano Sub-20. Enquanto a Argentina perdeu para o Equador e o Uruguai sofreu para passar pela Colômbia, os brasileiros deixaram o Estádio Monumental de Unsa, em Arequipa, com um placar elástico e a sensação de estar um degrau acima de seus rivais.

Porém, o técnico da Seleção, Ney Franco, quer ficar longe do rótulo de favorito. "Eu acho que sim (estamos no mesmo nível dos outros). Ganhamos de 5 a 1, mas o primeiro tempo foi muito difícil. Cada jogo é uma história diferente. A Argentina tem mais potencial do que mostrou hoje (segunda-feira). Não vi o jogo do Uruguai. Já anulamos um jogo, passamos por um. Agora faltam quatro para uma vaga na Olimpíada", disse.

A mudança de postura do primeiro para o segundo tempo, na avaliação de Ney, passou por uma mudança tática. No intervalo, o treinador mudou o posicionamento dos atacantes, criou duas linhas de quatro e o Brasil conseguiu resolver o jogo em contra-ataques rápidos.

"Fizemos duas linhas de quatro no segundo tempo porque estávamos com dificuldades com as jogadas de ponta deles. O Lucas deu suporte ao Danilo na direita. O Oscar ajudou ao Alex Sandro na esquerda. Eles começaram a sair com os volantes pelo meio, e daí entrou a eficiência de fazer gols. O segundo do Neymar e o terceiro do Lucas deram um alívio, mas optamos por continuar com a equipe no ataque e deu certo".

Ney Franco ainda elogiou a preparação física da Seleção Brasileira. Mesmo chegando à altitude de 2.330 m de Arequipa há menos de uma semana, os brasileiros correram o jogo inteiro e demonstraram mais fôlego do que os chilenos, já acostumado à cidade.

"Foi determinante a força física do segundo tempo. A preparação foi muito boa fisicamente . É muito difícil jogar em Arequipa pela primeira vez, contra uma equipe veloz, e correr até o final. Acho que o trabalho do Alexandre Lopes (preparador físico) e todo o restante da comissão técnica tem que ser elogiado", disse.