Sub-20: Brasil encara Chile em jogo com promessa de muitos gols

AREQUIPA - A história recente de Brasil x Chile mostra confrontos com muitos gols e com os brasileiros quase sempre levando a melhor. Diante deste cenário, a expectativa é que os dois países voltem a fazer um jogo ofensivo de segunda para terça-feira, quando se enfrentam à 0h10 (de Brasília), no Estádio Monumental de Unsa, em Arequipa, pela 1ª rodada da fase de grupos do Sul-Americano Sub-20.

O Chile tem se notabilizado nos últimos anos - e não é diferente neste torneio - a atuar com um esquema que privilegia o ataque e deixa muitos espaços na defesa. A postura chilena tem sido um prato cheio para os brasileiros, que possuem em confrontos entre seleções principais uma invencibilidade de dez jogos e 32 gols marcados. Em duelos válidos em torneios pré-olímpicos, o Brasil tem seis vitórias e cinco empates.

"Vamos encontrar uma equipe muito ofensiva, que quando está no ataque você consegue ver sete e até oito jogadores da linha do meio-de-campo para a frente. É um jogo muito interessante, que se desenha para ser de muitos gols", afirmou o técnico Ney Franco, que manteve a proposta ofensiva da primeira fase e escalou o Brasil com um quarteto ofensivo.

Só que o treinador optou por mudanças de nome. Henrique deixa a equipe para entrada de Oscar, que jogará aberto pela direita. Lucas, no centro, e Neymar, na esquerda, completam a linha de três posicionada entre os volantes Fernando e Casemiro e o centroavante Willian José. "A formação é basicamente como de toda nossa preparação", explicou.

Com três vitórias e um empate na primeira fase, o Brasil mira um início forte na fase final para não passar apuros na busca de uma das duas vagas olímpicas para Londres 2012. Neymar, principal nome da Seleção Brasileira até o momento, acredita que a partida é fundamental para as pretensões brasileiras no torneio.

"Vimos o teipe do jogo deles. É um time muito qualificado, rápido, que deixa espaços. Mas não podemos nos iludir com o que vimos. Contra o Brasil todos se multiplicam. É um jogo-chave para começarmos bem", disse o atacante, que até o momento marcou cinco gols no torneio.

Pelo lado chileno, a intenção é acabar com a história de freguesia para o Brasil e combater a irregularidade na primeira fase, quando venceram Venezuela e Peru e perderam para Argentina e Uruguai. Felipe Gallegos sentiu uma lesão no tornozelo direito e é dúvida. Bustos pode entrar em seu lugar.

 

Outros duelos

Além de Brasil x Chile, a rodada tripla em Arequipa terá os confrontos Uruguai x Colômbia, às 19h50 (de Brasília), e Argentina x Equador, às 22h (de Brasília). Na avaliação de Ney Franco, três equipes despontam como favoritas no hexagonal que vale duas vagas olímpicas, quatro no Mundial da categoria e obviamente o título.

"Eu acho que a princípio Brasil, Argentina e Uruguai estão no mesmo nível. A seleção da Colômbia tem valores individuais muito bons, que podem em um lance definir uma partida. Chile e Equador também mostraram que têm possibilidade de surpreender", analisou.

Ney Franco ainda gostou de o Brasil sempre fechar a rodada tripla na fase fina. Mesmo com a possibilidade de pegar um gramado prejudicado pelos jogos anteriores, ele considera uma vantagem entrar em campo sabendo o resultado dos rivais. "É um dado significativo dentro da competição", disse.