Flamengo decide título da Copa São Paulo

SÃO PAULO - O time sub-20 do Flamengo vai em busca de um título que não vem desde 1990: o da Copa São Paulo de Juniores, contra o Bahia. Com personalidade e sem temer a pressão, os jogadores garantem que vão com tudo para a decisão.

>> Acompanhe a partida minuto a minuto

Desde o último e único título do Fla na competição, já se passaram 21 anos. Djalminha, Junior Baiano, Nelio e Marcelinho Carioca deram lugar a Adryan, Marllon, Negueba e Muralha, que não eram nem nascidos em 1990. E esta geração já está acostumada a fazer história: venceu o Campeonato Carioca Juvenil de 2010 de forma invicta, com uma campanha nunca antes feita na competição. Para escreverem ainda mais o nome nas páginas de glórias do clube, os jogadores já sabem a receita: dar a vida em campo.

"Esse será o jogo mais importante da minha vida. Dá um friozinho na barriga nesses momentos antes da decisão, mas estamos preparados. Acompanhei algumas participações do Flamengo na Copa São Paulo e realmente é uma honra para todos nós ajudar o clube a ter sucesso na competição depois de tanto tempo. Espero que nós possamos ter o mesmo destino da geração de 1990, que formou muitos jogadores para o clube", garantiu o volante Lorran.

A euforia, no entanto, não tem vez no grupo do Flamengo. Todos os jogadores estão cientes de que o duelo com o Bahia não será fácil. Por isso, eles conversaram bastante durante a preleção na noite de ontem e foram logo descansar para a partida. Segundo Lucas, atacante que marcou três gols nas quartas de final, contra o Coritiba, chegou a hora de correr mais do que em qualquer outra ocasião.

"Nós sabemos da importância desse título para nós, para o clube e para a torcida. Sabemos também que o jogo não será fácil, mas prometemos que vamos entrar com tudo e buscar essa vitória até o final. Vou correr como nunca corri antes na vida", explicou.

O técnico Paulo Henrique, também cauteloso, lembra que o grupo tem muito potencial e que tudo isso já foi visto por todos. Portanto, não há motivos para se temer uma derrota. Caso ela aconteça, é preciso ter a cabeça no lugar e saber que não é por causa de um resultado que a equipe terá que abaixar a cabeça.

"Conversei com eles e expliquei que já são vencedores. Só de chegarem à final num campeonato que tem 92 clubes já mostra que eles têm potencial. São jogadores muito novos e que não precisam ficar preocupados em como vão ficar marcados caso percam. Eles já são campeões para mim. O nosso forte sempre foi a união do grupo. Não é um jogador que vence. Não será assim se perdermos", completou.

Para chegar à grande final, o Flamengo empatou na estreia contra o Mogi Mirim (0 a 0), e venceu Gurupi-TO (7 a 1) e São José (3 a 0), terminando a primeira fase na segunda colocação do Grupo K. Na sequência, eliminou Cruzeiro (pênaltis), São Paulo (1 a 0), Coritiba (6 a 2) e Desportivo Brasil (pênaltis).

Site do Fla