Santos traz cozinheira do Pará para seduzir Ganso com "pato"

O Santos se reforçou bem para a temporada, mas uma das principais metas da diretoria é manter o meia Paulo Henrique Ganso. O jogador demonstrou descontentamento com o clube, mas o presidente Luis Álvaro de Oliveira crê em sua permanência. Para segurá-lo, o dirigente usou uma arma secreta: Branca, uma cozinheira paraense.

"Jantei com o Ganso nesta semana com uma cozinheira paraense que fez um pato no tucupi. O Ganso gostou muito. Conversamos e nos próximos dias acertaremos os pontos finais do acerto econômico", explicou Luis Álvaro, confiante no acordo com o jogador, que é paraense.

"O único descontentamento do Ganso foi em relação ao tempo que o pato demorou para ser servido. Ele repetiu três vezes o pato e eu duas. Tenho que me controlar um pouco", comentou o presidente do clube.

O dirigente quer usar a cozinheira mais vezes, e tem pratos em mente. "Combinamos um filhote grelhado à moda de Belém para o próximo prato", avisou.

Ganso reclamou na última semana que o Santos não o valoriza. O jogador negocia um plano de carreira, enquanto é alvo de clubes europeus. "Fico triste e chateado por não ser valorizado pelo clube que eu defendo com todo o prazer. Bate uma tristeza, mas isso acontece no futebol", disse o meia na última semana.

Luis Álvaro, porém, não se incomoda com as palavras de Ganso, e tem fé no poder do Santos. "Foi uma declaração dada naquele momento, e isso não pode ser levado em consideração. O Ganso está no melhor clube do mundo. E o Santos tem entre seus atletas alguém que pode ser o melhor do mundo", afirmou.

Paulo Henrique, que está lesionado desde o dia 25 de agosto, quando se machucou na partida com o Grêmio, no Olímpico, segue insatisfeito com o projeto oferecido pelo clube alvinegro. O Santos inicialmente propôs um aumento salarial (R$ 275 mil por mês, contra R$ 130 mil do salário atual) e, em troca, o clube gostaria de 30% dos direitos de imagem do meia.

Contudo, Paulo Henrique não gostou da proposta e exigiu R$ 500 mil mensais, e as conversas acabaram estacionando - seu vínculo atual se encerra apenas em 2015, com multa rescisória de 50 milhões de euros (R$ 109 milhões).