Marta mantém a hegemonia e é eleita a melhor do mundo pela quinta vez

A escolha da melhor jogadora de futebol feminino do mundo não teve surpresa. Pelo quinto ano consecutivo, a Fifa (Federação Internacional de Futebol e Associados) elegeu nesta segunda-feira, em cerimônia realizada na cidade de Zurique (Suíça), a brasileira Marta como a principal atleta da categoria no ano de 2010 - a meia do Santos superou as alemãs Birgit Prinz e Fatmire Bajramaj para erguer o troféu da qual é dona desde o ano de 2006. Pelos homens, o argentino Lionel Messi superou os campeões mundiais e foi eleito pela segunda vez o melhor do mundo. 

Durante a temporada de 2010, Marta brilhou nos Estados Unidos ao defender o FC Gold Pride. Com a camisa do time californiano, a brasileira assinalou 19 gols e foi a principal atleta na conquista do campeonato profissional de futebol feminino. O desempenho fez a meia atacante ser eleita a MVP (Jogadora Mais Valiosa, em inglês) da competição e a artilheira do torneio.

Ao receber o prêmio, Marta não escondeu a emoção e teve a mesma atitude das outras quatro vezes em que subiu para receber a honraria de melhor do mundo: chorou.

"Não seria como as outras vezes se não chorasse. Então estou aqui, chorando de novo. Foi um ano muito especial para mim, pois consegui vários êxitos pelas minhas equipes. Além disso fui agraciada como embaixadora da ONU. Tudo muito especial para mim", discursou a pentacampeã na eleição da Fifa.

Messi é o melhor

Lionel Messi é pela segunda vez o melhor jogador do mundo. Nesta segunda-feira, em Zurique, a Fifa escolheu o astro argentino como o destaque da temporada, desbancando Andrés Iniesta e Xavi Hernández, companheiros de Barcelona que foram campeões da Copa do Mundo da África do Sul.

Messi subiu ao palco visivelmente surpreso. Em seu discurso, o argentino admitiu que não esperava vencer e homenageou os colegas de time, lembrando também dos torcedores do Barcelona. Ele recebeu os prêmios justamente das mãos de seu treinador, Pep Guardiola.

Diferentemente de seus colegas no time catalão, Messi não teve um grande ano com sua seleção. Pela Argentina, o atacante caiu nas quartas de final da Copa para a Alemanha com uma goleada por 4 a 0, deixando o torneio sem marcar gols. Esta é a primeira vez que o trio final é composto por jogadores de um mesmo time - neste caso, além de jogar pelo Barcelona, todos foram revelados na equipe.

Por seu clube, o atleta teve um ano de vitórias, ainda que não completo. Pelo Barcelona, Messi conquistou o Campeonato Espanhol com sobras, mas caiu na semifinal da Liga dos Campeões para a Inter de Milão, que seria campeã do torneio continental.

Tradicionalmente, a escolha de principal jogador do ano era dividida entre a festa da Fifa e a Bola de Ouro da revista France Football. A partir de 2010, porém, as premiações foram unificadas, selecionando apenas um destaque da temporada. Nos últimos cinco anos, os escolhidos entre os dois prêmios haviam sido os mesmos.