Jogo entre Brasil e Argentina tem falhas e ameaça candidatura do Catar

O alto investimento da Associação de Futebol do Catar no amistoso Brasil x Argentina nesta quarta-feira impressionou os visitantes, mas deixou expostas algumas falhas que podem prejudicar a candidatura do país para receber a Copa do Mundo de 2022. De acordo com informações da Folha de S. Paulo, no evento que chamou de "duelo de titãs", a organização viveu problemas antigos no khalifa Stadium, como falta de informação e orientação a torcedores, venda de ingressos confusa e uma invasão de campo no decorrer da partida, o erro mais grave.

Para convencer a Fifa que tem condições de abrigar o Mundial, decisão que será anunciada no dia 2 de dezembro, o Catar gastou R$ 9,5 milhões só com cachê das seleções, de acordo com a publicação, cerca de 50% a mais do que normalmente é pago em amistosos. Além disso, contou com presenças de ilustres como o técnico do Manchester United, Alex Ferguson, o ex-velocista Michael Johnson, os ex-tenistas Bjorn Borg e John McEnroe e o presidente do Barcelona, Sandro Rossell. No intervalo do jogo, apresentou seus "embaixadores", entre eles Zinedine Zidane, Carlos Alberto Torres e Mario Kempes. Os adversários na disputa para ser sede em 2022 são Estados Unidos, Japão, Coreia do Sul e Austrália.