Bolívar acha "muito bom" momento difícil da Inter de Milão

 

As semifinais do Mundial de Clubes separam a Inter de Milão e o Internacional de um confronto decisivo. Apesar de sempre ressaltarem que existe um jogo antes da decisão, os jogadores da equipe gaúcha não deixam de falar sobre o provável duelo entre europeus e sul-americanos - nunca um país de outra competição disputou à final.

O capitão Bolívar não escapou do assunto Inter de Milão e disse que acha positivo para os brasileiros que o rival esteja passando por uma turbulência. Com seguidas lesões - Samuel, por exemplo, esta fora do Mundial - e resultados abaixo dos obtidos na última temporada européia, o clube já pensa até em substituir Rafa Benítez no comando técnico.

"Sei que eles não estão conseguindo resultados expressivos, mas não se pode tirar o mérito da equipe. Eles estão passando por um momento de lesões e isso é muito complicado. Para nós isso é muito bom, não desejando o mal de ninguém", disse o capitão, que chegou a usar a palavra "badalada" para se referir à equipe italiana.

Vale lembrar, no entanto, que o time gaúcho também não vai bem nesta reta final do Campeonato Brasileiro. São sete jogos sem vitória, mas o Internacional ao menos não está sofrendo com muitas lesões e tem um técnico em situação sólida para o torneio.

Perspectiva

Faltam um mês e um dia para a final do Mundial de Clubes, mas Bolívar se mostra inteirado sobre a Inter. O zagueiro disse que assiste a todos os jogos do time que passam na televisão em horário acessível para ele e já faz avaliações para "passar para os companheiros".

O "curso intensivo" será passado pelo técnico Celso Roth mais próximo do eventual duelo, mas as primeiras lições já foram tiradas. "A Inter, assim como outras equipes europeias, trabalha muito bem na parte defensiva. E tem o Eto'o, que é muito rápido no contra-ataque", disse.

O jogo do Internacional, em seu ponto de vista, guarda semelhanças. "Nós também temos uma defesa sólida, temos essa base defensiva, e isso nos dá confiança. Se nos enfrentarmos, será uma grande decisão, mas com poucas oportunidades de gol", avalia. Se ele está certo, só saberemos daqui a 31 dias.