Seleção feminina de vôlei chega a SP após segundo lugar no Mundial

José Roberto Guimarães confessa que time ainda está arrasado com derrota para as russas

SÃO PAULO - As jogadoras da seleção brasileira desembarcaram abatidas nesta terça-feira em Guarulhos após a derrota na final do Mundial Feminino de Vôlei para a Rússia. Apesar de pregarem o aprendizado e o otimismo após o vice-campeonato no Japão, as jogadoras fizeram um voo bastante calado, conforme entregou o técnico José Roberto Guimarães na chegada.

Contrariando o discurso de suas atletas, o treinador disse que o grupo estava arrasado com o derrota por 3 sets a 2 na final de domingo. "É natural", disse.

A oposto Sheilla foi uma das que tentou manter o otimismo na chegada ao Brasil. Recebida com carinho por torcedores na área de desembarque do Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, a jogadora tentou manter o discurso positivo depois da medalha de prata no Mundial.

"Nós mostramos que a equipe é vencedora. Fizemos o máximo. Estamos tristes, mas chegar ao Brasil e ter mensagens de apoio, ser aplaudida, faz a diferença", disse a atleta do São Caetano, agradecendo o carinho da torcida e apontando o primeiro pensamento da equipe na viagem de volta. "Quando a gente perde, quer logo saber o porquê", explica.

A experiente líbero Fabi, por sua vez, pediu a valorização do segundo lugar da seleção no Mundial. Segundo ela, apesar de terem perdido a final da competição pela segunda vez para a Rússia, as brasileiras estão sempre em busca de evolução em seus desempenhos e em seus resultados.

"Está na hora de valorizar nosso segundo lugar. Satisfeitas, nós nunca estamos, mas insatisfação é a palavra do atleta", disse Fabi, que descansará até quinta-feira, quando acontece o jantar de apresentação da Superliga 2010/2011. "Só quero descansar e comer nossa comida. Estou com saudade de arroz com feijão."