Rússia derrota Brasil na final do Mundial Feminino de Vôlei

 

Na reedição da final de 2006, o time verde e amarelo começou arrasador, mas viu o inédito título mundial escapar pela segunda vez consecutiva. A vitória russa, de virada, veio apenas no tie-break, com parciais de 21/25, 25/17, 20/25, 25/14 e 15/11, neste domingo, em Tóquio.

Com as duas equipes invictas na competição, o time de José Roberto Guimarães conseguiu durante parte do jogo controlar a gigante Gamova e a experiente Sokolova, porém sofreu uma queda de rendimento inesperada e viu exatamente as duas jogadoras desequilibrarem a partida.

O jogo

A Seleção Brasileira começou a partida com um ritmo forte e pareceu que conseguiria repetir o  mesmo desempenho dos últimos sets da semifinal contra o Japão. A ponteira Natália foi a grande responsável para o Brasil abrir 6 a 1 no marcador. Com Gamova bem marcada, a Rússia não conseguia crescer na partida e, depois de um ataque de Jaqueline na entrada de rede, a Seleção ampliou o placar para 10 a 3, e fez com que a Seleção russa pedisse tempo.

A conversa surtiu efeito e as europeias fizeram uma boa sequência de pontos graças a ataques errados de Sheilla e Jaqueline. O time brasileiro, porém, usou os contra-ataques para manter sua vantagem. Com um bloqueio de Fabiana, a Seleção chegou na segunda parada técnica com uma vantagem de 16 a 13 no placar.

O Brasil chegou a abrir cinco pontos, em um bloqueio de Fabíola, mas logo permitiu a reação das russas, que chegaram a empatar a partida em 21 a 21. O time brasileiro, porém, não se abateu e conseguiu fechar o primeiro set em 25 a 21.

O segundo set começou exatamente de forma contrária do que foi a primeira parcial. No saque de Sokolova, a Rússia foi minando o Brasil e abriu 6 a 2 no placar, depois de um ace da camisa 5. A Seleção tentou voltar ao jogo antes do fim da primeira parada técnica, mas a ponteira Gamova, inspirada, fez as russas chegarem no intervalo com 8 a 5 no placar.

Na volta da parada técnica, as europeias seguiam com o controle do set, conseguindo principalmente parar Natália. Mais uma vez, o saque de Sokolova voltou a quebrar a recepção e fez com que o técnico José Roberto Guimarães parasse a partida para consertar os erros. O comandante tentou mudar um pouco a partida, colocando Joycinha e Dani Lins em quadra. A alteração não surtiu efeito e as russas fecharam o set em 25x17

No terceiro set, o time verde e amarelo explorou o bloqueio e as bolas com Fabiana para tentar se manter a frente. Mantendo a regularidade, a equipe chegou à primeira parada técnica com 8 a 6, em um lance que gerou reclamações das russas depois de um ataque de Jaqueline. A boa atuação de Fabíola, que passou a variar mais as jogadas, fez com que a seleção conseguisse manter a vantagem na partida. Em um bloqueio de Fabiana,  o Brasil fechou a parcial em 25 a 20.

Quem esperava uma Seleção Brasileira vindo para matar de vez a partida se enganou.Com o bloqueio encontrando toda hora os ataques de Natália, Jaqueline e Sheilla, as russas abriram uma distância de 14 a 6. 

Repetindo a substituição da semifinal, o técnico Zé Roberto colocou Sassá no lugar de Jaqueline, mas a entrada da camisa 10 não foi suficiente para diminuir a larga vantagem.O time brasileirocometia erros bobos de ataque e foi sucumbindo em quadra. Com um tranquilo 25 a 14, as europeias levaram a partida para o tie-break.

O tie-break começou tenso com inversão de pontos de lado a lado, mas o Brasil se mantinha um pouco na frente. Na virada de quadra, a equipe verde e amarela chegou com 8 a 7 no placar, em uma bola no meio de Thaisa. A Seleção, porém, não conseguiu manter o domínio do set e viu a Rússia, comandada pela gigante Gamova fazer 15 a 11 e conquistar o bicampeonato mundial em Tóquio.