Vôlei: Zé Roberto enaltece grupo de "operárias" por campanha invicta no Japão

TÓQUIO - O técnico José Roberto Guimarães apontou em entrevista ao Terra, na manhã desta sexta-feira, a união do grupo como responsável pela impecável campanha da seleção brasileira feminina de vôlei até o momento no Mundial do Japão.

"O Brasil está jogando como equipe, uma jogadora faz pela outra. Uma é mais acionada em um jogo, outra em outro, e todas dão conta do recado. Sempre fui adepto do trabalho em equipe. Quando se divide responsabilidades, tudo fica mais fácil. Por isso que o time do Brasil vem bem", disse o treinador, acrescentando que o espírito de equipe não está presente apenas dentro de quadra.

"São jogadoras operárias, que não querem aparecer e se doam ao máximo. Anteontem (quarta, antes de deixarem Nagoya rumo a Tóquio), elas pediram para jantar fora, após um longo tempo, e as 14 jogadoras foram para o mesmo lugar. É bacana. A força do Brasil está no grupo", destacou Zé Roberto.

O Brasil chega à semifinal do Mundial com o incrível retrospecto de nove vitórias em nove jogos. Até o técnico da seleção admitiu que está surpreso com o desempenho.

"Sabíamos das dificuldades que iríamos encontrar já na primeira fase, quando tivemos algumas grandes equipes, como Itália e Holanda, pela frente. Depois, na segunda fase, os Estados unidos e a Alemanha, adversários tradicionais. Não imaginava chegar invicto após estes jogos. Isso foi importante para este grupo. Não esqueceremos deste Mundial tão cedo. Mas ainda não conquistamos nada", afirmou, lembrando da semifinal contra o Japão, neste sábado, às 7h (de Brasília).

"Faltam dois degraus importantes. O jogo com o Japão me preocupa muito. É um time que melhorou em coisas que não fazia bem, como no bloqueio, onde tinha problemas, e no ataque da segunda linha, na linha de fundo. Deu um salto de qualidade neste ano", analisou o técnico da Seleção.