Estudo confirma que jogadores da RFA se doparam no Mundial de 1954

     BERLIM - Vários jogadores da equipe da República Federal da Alemanha (RFA), que ganhou o Mundial de futebol de 1954 na Suíça, se doparam com injeções de pervitina, uma metanfetamina dopante, segundo um estudo universitário.

De acordo com a pesquisa, divulgada na segunda-feira, os alemães - que surpreenderam na final contra a Hungria de Ferenc Puskas vencendo por 3 a 2 - acreditavam que as injeções que recebiam eram de vitamina C.

Apelidados desde então de "os heróis de Berna", os alemães na verdade receberam injeções de metanfetamina, substância que na época fora fornecida aos soldados do país para combater na Segunda Guerra Mundial. Hoje em dia, integra a lista de substâncias dopantes proibidas.

O estudo, intitulado "Doping na Alemanha", foi financiado pelo Comitê Olímpico Alemão. Seus primeiros resultados indicam que o doping foi utilizado sistematicamente na RFA desde 1949.