Deco garante que não vai pedir desculpas ao técnico Carlos Queiroz

Os dois se desentenderam durante a Copa do Mundo

        LISBOA - A polêmica entre Carlos Queiroz, ex-técnico da seleção de Portugal, e Deco, meia que hoje defende o Fluminense, parece não ter fim. Depois de ver o treinador apelidá-lo de "ex-jogador em atividade", desta vez foi o atleta de 32 anos, com passagens por Chelsea, Barcelona e Porto, que disparou contra o antigo comandante. Em entrevista à rede de televisão SIC, Deco negou qualquer tipo de pedido de desculpas públicas pelas desavenças recentes e afirmou que não vê qualidade no trabalho do treinador.

Na conversa, Deco reconhece que Queiroz "ganhou algumas coisas, mas não deu provas de ser um grande treinador", classificando o desafeto como "apenas razoável". O meia do Fluminense ainda foi além e traçou um comparativo de sua trajetória com a do treinador, ao dizer que olha para o passado e viu que conquistou coisas boas, ao contrário do técnico, "que não ganhou nada significativo".

O desentendimento entre os dois na Copa do Mundo da África do Sul, quando Deco foi deixado na reserva e demonstrou sua insatisfação com pesadas críticas ao treinador, também não incomoda o atleta, que garantiu que não tem motivos para se desculpar. Ao dizer que nunca foi de "criar polêmicas", o meia reclama das vezes em que foi escalado quase como ponta direita e dispara: "ele não foi obrigado a me convocar e podia ter me deixado fora da lista. Os treinadores é que escolhem os jogadores e não são obrigados a convocar ninguém".