"Mourinho nunca seria treinador do meu time", diz Cruyff

       MADRI - Ídolo do Barcelona e ex-treinador da equipe, o holandês Johan Cruyff tratou de aumentar a rivalidade entre os dois principais clubes da Europa e esquentar os bastidores para o primeiro clássico da temporada 2010/2011 com novas críticas ao técnico rival, José Mourinho. Em entrevista ao programa Al Primer Toque, da Onda Cero e Rádio Marca, não aliviou ao falar do português ao compará-lo com outros profissionais e deixou claro: nunca dirigiria um de seus times.

Para justificar um futuro "veto", Cruyff não se baseia nos resultados conquistados por Mourinho nos últimos anos ou em sua forma de armar as equipes. O holandês deixou claro que respeita o rival como treinador, mas disse acreditar que um técnico de uma "entidade mundialmente conhecida" precisa de outras qualidades além de fazer sua equipe jogar bem, como representar de forma digna o seu clube, instituição e sócios.

Na comparação, Cruyff tratou de elogiar dois profissionais com passagens marcantes pelo Barcelona: "neste sentido, Rijkaard em primeiro lugar e Guardiola, agora, são bons representantes". Para defender o atual treinador, o holandês até comentou a polêmica saída de Ibrahimovic, que trocou o clube pelo Milan em meio a muitas críticas ao antigo comandante. Para Cruyff, as relações mudaram no futebol e às vezes é preciso tomar decisões importantes.