Gobbi beija Tite e diz que vestiário corintiano é Pólo Norte

O personagem corintiano da quarta-feira deveria ser Tite, mas o vice de futebol Mário Gobbi conseguiu dividir os holofotes com o novo treinador. Com frases de efeito, bronca em repórter e falas de delegado, ele fez de tudo para minimizar a presença de torcedores organizados ao longo da semana passada e até deu um longo abraço, seguido por beijo no rosto, do novo comandante corintiano.

Gobbi, que seguiu a tradição e iniciou a apresentação de Tite, repetiu mais uma vez o discurso adotado na chegada de Adilson Batista. Desejou tranquilidade, serenidade e discernimento. Disse que era uma honra tê-lo de volta. Afirmou que o novo treinador tinha um currículo invejável.

Questionado sobre a influência de torcedores no clube, o dirigente utilizou uma frase que não condiz com a realidade do Corinthians nas últimas semanas. "Da porta para dentro, o vestiário é o Pólo Norte de tanta tranquilidade".

Enquanto Tite partia para o campo de treino e passava orientações aos jogadores, Mário Gobbi retornou para a sala de imprensa e concedeu uma entrevista longa, com quase uma hora de duração, e deu um show à parte. Se prestando ao papel de bombeiro, negou praticamente todos os problemas. Da pressão de torcedores organizados até a ausência de Souza nos últimos dias.

"Fui chamado pelo administrador do Centro de Treinamento, de que havia um grupo de torcedores no portão. Fui até lá, conversei com eles, pediram para falar com alguns jogadores. Eu disse que eu ia passar esta reivindicação e retornaria para eles em breve. Passei aos jogadores e houve um consenso de que eles deveriam ir até lá. Foi decisão que nasceu no grupo", disse.

Delegado, Gobbi comparou a relação com torcedores organizados com sua atuação profissional e afirmou ter sempre serenidade em suas decisões. Negou com veemência que seja pré-candidato à presidência do Corinthians no fim de 2011.

"Sou quem o Andrés Sanchez apoiar. Não sei por que, mas já nasci Andrés", declarou. O vice de futebol, porém, insinuou que há muita gente de olho no cargo que ele ocupa. "Mas minha cabeça está na gaveta do presidente. É ele que decide".

Questionado a respeito de um possível descontentamento de Roberto Carlos por conta da presença de torcedores organizados na última semana, Gobbi até se aproveitou da confusão de um repórter na pergunta para realizar desabafo e se dizer "chateado pela falta de moderação de alguns jornalistas". "Outro dia vocês escreveram no jornal que eu comia tremoços. Já pensou se eu ligo para essas coisas", gargalhou.

Com uma bela repórter que participava da entrevista, por outro lado, trocou gracejos. "Gostaria de parabenizar o senhor por esse excelente trabalho", disse ela. Pouco depois, Gobbi respondeu à moça se dizendo um homem de sorte por sua mulher não estar presente.