Ponte pressiona, mas perde do Bragantino em casa e vê G-4 longe

Na briga para se aproximar do G-4 do Campeonato Brasileiro da Série B, a Ponte Preta sofreu outro revés nesta terça-feira. Jogando em casa, o time de Campinas perdeu por 1 a 0 para o Bragantino e conheceu sua segunda derrota seguida na competição. Mesmo pressionando, os comandados do técnico Jorginho pararam na boa atuação da defesa adversária e do goleiro Gilvan.

A partida foi marcada também por uma lesão do árbitro Cléber Wellington Abade, que sentiu a panturrilha no início do segundo tempo e foi substituído por José Henrique de Carvalho.

O resultado faz com que a Ponte pare nos 45 pontos e caia para a 7ª colocação. A equipe está agora a sete pontos de distância da zona do acesso, mas Bahia, Figueirense e Sport - todos com 52 pontos - ainda jogam na rodada desta terça-feira. Já o Bragantino chegou aos 40 pontos e se afastou da zona do rebaixamento.

A equipe da casa começou melhor, trocando passes curtos no meio de campo, mas saiu atrás logo aos 7min, quando o time de Bragança Paulista aproveitou uma bola parada. Em cobrança de falta na intermediária, Éder rolou para o chute de Luciano Sorriso; a bola desviou em Everton Silva e enganou o goleiro Eduardo Martini.

A Ponte Preta empataria logo no minuto seguinte, não fosse a intervenção salvadora de Marco Aurélio. Everton Silva cruzou, Bruno Collaço bateu cruzado de dentro da área, Ivo desviou e o zagueiro do Bragantino salvou o lance em cima da linha.

Atrás no placar, o time campineiro parecia nervoso e passou a errar passes consecutivos, dificultando a armação de jogadas. A equipe até tentou pressionar os visitantes, mas não conseguiu mais chances claras de gol até o fim da primeira etapa.

O técnico Jorginho fez duas alterações no ataque no intervalo, tirando Moacir e Kieza para as entradas de Daniel Lovinho e Richard Falcão. Aos 5min, o lance mais inusitado do jogo: o árbitro Cleber Wellington Abade sentiu dores na panturrilha esquerda, caiu no gramado e teve que deixar o campo de maca, chorando. Após sete minutos de paralisação, com José Henrique de Carvalho no apito, a partida recomeçou.

A Ponte seguiu mais atuante no ataque, enquanto o Bragantino procurava marcar forte e assustar no contragolpe. Os anfitriões balançaram as redes aos 31min, mas o gol foi invalidado: Richard Falcão recebeu na área, desviou a bola e William, em posição de impedimento, completou.

A pressão dos campineiros cresceu nos minutos finais, e Gilvan fez defesa espetacular aos 42min, espalmando para escanteio um chute de Richard Falcão à queima-roupa. Com a torcida da Ponte protestando muito nas arquibancadas, o placar não se alterou até o apito final.

FICHA TÉCNICA

Ponte Preta 0 x 1 Bragantino

Gol

Bragantino: Luciano Sorriso, aos 7min do 1º tempo

Esquema Tático da Ponte Preta

4-3-3

Eduardo Martini; Everton Silva, Naldo, Augusto e Bruno Collaço; Josimar, Pirão e Ivo; Moacir (Daniel Lovinho), William e Kieza (Richard Falcão). Técnico: Jorginho

Esquema Tático do Bragantino

3-5-2

Gilvan; Júnior Lopes, André Astorga e Marco Aurélio; Nego, Eder Silva (Adriano), Luciano Sorriso (Marcelinho), Diego e Éder (Júlio César); Rodriguinho e Juninho Quixadá. Técnico: Marcelo Veiga

Cartões amarelos

Ponte Preta: Augusto, Ivo, Pirão e Everton Silva

Bragantino: Diego, Júnior Lopes e Rodriguinho

Árbitro

Cléber Wellington Abade (SP) - depois, José Henrique de Carvalho

Local 

Estádio Moisés Lucarelli, Campinas (SP)