Corinthians marca apresentação de Tite para quarta-feira

    SÃO PAULO - Sem vencer há sete jogos no Campeonato Brasileiro e convivendo com uma crise não vista desde o rebaixamento à Série B, em 2007, o Corinthians anunciou que a apresentação do técnico Tite, novo comandante do time, será nesta quarta-feira, às 15h (de Brasília), no Centro de Treinamento Joaquim Grava, localizado no Parque Ecológico do Tietê.

 

Em nenhum início de seus trabalhos na elite do futebol nacional, Tite teve o aproveitamento que provavelmente precisará para ser campeão brasileiro com o Corinthians. No retorno ao Parque São Jorge, o novo treinador corintiano terá oito jogos para ir atrás do título. Se acontecer, será um acontecimento inédito na sua carreira.

No Inter-08, no Palmeiras-06, no Atlético-MG-05, no Corinthians-04, no São Caetano-03 e no Grêmio-01, o aproveitamento máximo que Tite conseguiu em oito jogos iniciais foi pela equipe gremista. Naquela temporada, em sete jogos pela Copa Sul-Minas e outro pelo Estadual, o treinador obteve 16 de 24 pontos disputados.

Se repetir os mesmos 16 pontos pelo Corinthians, Tite dificilmente será campeão brasileiro, já que a equipe corintiana chegaria a 66 pontos. Desde que a Série A é disputada por 20 clubes, em 2006, nenhum time conseguiu o título com essa pontuação. O índice mais baixo foi do Flamengo no ano passado: 67 pontos.

O desempenho de Tite em seus primeiros oito jogos com o Inter, em que conquistou 15 de 24 pontos, foi praticamente idêntico ao que havia obtido no Grêmio. No São Caetano, ele levou 14 de 24 pontos.

Preocupante, para os corintianos, é se Tite tiver o mesmo início que teve pelo próprio Corinthians, em 2004, ou pelo Palmeiras, dois anos depois. Nessas passagens, o aproveitamento do treinador foi de 50%, o que deixaria a equipe alvinegra com 62 pontos ao fim do Brasileiro. Em 2009 e 2007, essa pontuação valeu vaga na Libertadores. Em 2008 e 2006, foi insuficiente.

O cenário mais trágico que a carreira de Tite mostra é o do Atlético-MG. Em 2005, o treinador iniciou a campanha, que culminaria no rebaixamento atleticano, com só 37% de aproveitamento. Esse desempenho levaria o Corinthians à sexta posição, o que praticamente inviabiliza o desejo de jogar a Copa Libertadores em 2011.