Vissotto "perde cabeça", Theo se destaca e disputa esquenta na Seleção

Desde o começo do Mundial de Vôlei, o oposto Leandro Vissotto vem sofrendo com os altos e baixos das suas atuações na competição. Depois de se lesionar na estreia contra a Tunísia, o jogador teve rendimento ruim contra a Espanha e Bulgária (a segunda o time inteiro foi mal), regular contra Cuba e uma atuação excepcional contra a Polônia. Nesta segunda-feira, o camisa 6 voltou a ter uma atuação abaixo do esperado. Errando alguns ataques, ele não conseguia ajudar a Seleção Brasileira a evoluir no duríssimo jogo contra a República Checa.

Irritado desde o primeiro set, Vissotto foi visivelmente perdendo a cabeça com o decorrer do duelo. Tanto que Bernardinho o tirou de quadra no terceiro set para a entrada de Theo. O reserva teve um desempenho bom, não conseguiu reverter o segundo set, mas chegou voando no quarto set.

No final da parcial, Vissotto teve uma nova oportunidade com a inversão das posições do oposto e do levantador, tradicionalmente feita por Bernardinho nos finais de set. Porém, o jogador não conseguiu novamente desempenhar bom papel e ao voltar para o banco de reservas quase quebrou a plaquinha de substituição.

Theo seguiu até o fim da partida. Vissotto ainda tem uma vantagem, mas de certo a briga pela vaga de oposto começou a esquentar. No final da partida, Theo comentou ao Terra a sua exibição durante o jogo. "A gente tem que estar sempre preparado, o time precisa de todo mundo, tentando suprir a dificuldade do time dentro da quadra. Hoje foi comigo, amanhã pode ser com outro. Por isso que o Brasil é forte, no conjunto".

O jogador disse ainda que tem uma disputa sadia com o amigo Vissotto, mas que claro vai tentar arranjar seu espaço na Seleção. "Eu torço muito por ele, é um excelente jogador. Acho que o espaço é merecido que ele conquistou na Seleção, mostrou que pode assumir (essa responsabilidade), mas a disputa é profissional. Ele brigando pelo dele e eu pelo meu. Claro que não ultrapassa os limites da quadra também".