Giba compara Brasil com Ferrari e vê todos contra Seleção

As reclamações de uma possível "entregada" da Seleção Brasileira martelaram na cabeça dos jogadores da equipe durante todo o dia de ontem. Ainda bravo com a perseguição à sua equipe, o capitão Giba crê que a equipe verde e amarela é a única criticada em um torneio em que a Rússia também fez jogo suspeito contra a Espanha e outras equipes deixaram dúvidas no ar como Estados Unidos, Sérvia e França.

"Fico imaginando porque a Itália só fala da gente e não dos outros. Viu o resultado da Espanha? (vitória sobre a Rússia por 3 a 2, de virada). O técnico é italiano (Daniele Bagnoli). Sabemos que são todos contra a gente aqui. Está feito", afirmou o ponteiro.

De acordo com Giba, a estratégia da equipe de Bernardinho foi feita em cima das aberturas que o tão criticado regulamento do Mundial de Vôlei os permitia. "Entramos para poupar o time. Vocês estão vendo que o Bruninho não está bem, está sobrecarregado. Não tinha como jogar direito com um oposto como levantador. O que penso é que será difícil sujar nossa imagem. A gente trabalhou muito. Mostramos várias vezes o orgulho de sermos brasileiros. Agora escolhemos uma estratégia que o regulamento permitia".

O capitão da Seleção Brasileira comparou o que foi feito pela equipe com o que a Ferrari fez este ano entre Fernando Alonso e Felipe Massa, no GP da Alemanha, quando o brasileiro deixou Alonso passar enquanto estava na liderança, por um pedido vindo dos boxes. "Quantas vezes a Ferrari fez jogo de equipe? É a estratégia deles para ganhar. E olha que são italianos...", completou Giba