Criticada e "ferida", Seleção tenta apagar imagem manchada na 2ª fase

Por mais que os jogadores da Seleção Brasileira tentem se concentrar no duelo contra a República Checa, as críticas com relação à derrota para a Bulgária ainda estão latentes. O grupo brasileiro sempre soube das consequências que uma atitude de colocar um oposto no lugar de um levantador poderia causar, mas preferiu arriscar e agora tenta apagar a mancha na imagem da equipe que ficou durante a segunda fase do Mundial de Vôlei.

Maior voz durante toda a polêmica, o ponteiro Giba reclama, com uma certa razão, que a Seleção é a única criticada em uma competição que mais resultados estranhos foram vistos. O jogador admite que foi uma situação que beirou o ridículo e sabe que tem que provar na quadra que dará a volta por cima.

"Assumo a responsabilidade do que foi feito. Estou entre os mais experientes, tenho que arcar com isso. Nossa imagem é difícil de ser sujada. Conversamos muito sobre isso antes do jogo. Já fizemos muito pela Seleção. Quem está aqui tem muito orgulho de defender o País. Aquele orgulho de ser brasileiro que sempre mostramos", afirmou Giba no último domingo.

Sabendo que não pode vacilar nesta terceira fase, primeiro para não perder a vaga na semifinal e segundo para calar as críticas que ficaram no duelo contra os búlgaros, a Seleção entra ferida, mas com raiva contra a República Checa nesta segunda-feira. Isso pode ser visto claramente pelo empenho acima do normal no treino de ontem, no Ginásio Palalottomática, primeiro da equipe em Roma.

De acordo com o técnico Bernardinho, a sua equipe está preparada para tomar mais vaias se assim for necessário. O ginásio da capital italiana também é casa da seleção local e, portanto, deve se virar contra os brasileiros nesta tarde, a partir das 16h (horário de Brasília). "Não acho que vá acontecer nenhum tipo de hostilidade, mas se tiver é normal. Não encaramos isso com nenhum tipo de problema".

A principal novidade da Seleção deve ser o retorno do levantador Marlon, pelo menos para o banco de reservas. O jogador treinou normalmente ontem à noite e disse que está se sentindo bem para a partida de hoje. A entrada de Marlon será um alívio para Bruninho, que poderá dividir a responsabilidade de conduzir as jogadas brasileiras, coisa que não pôde fazer durante toda a primeira e segunda fases.

Do outro lado da quadra, os brasileiros não encontrarão tanta facilidade. Primeiros colocados em um grupo que tinha os campeões olímpicos Estados Unidos, os checos têm como principal característica a alta estatura, com dois jogadores medindo 2,06m. A equipe tem apenas uma derrota na competição, contra a França ainda na primeira fase do torneio.