Brasileiro pode ser o primeiro estrangeiro a jogar na seleção russa

Agência AFP

MOSCOU - O atacante brasileiro Welliton Soares Morais, do Spartak Moscou, artilheiro do campeonato russo, manifestou à AFP seu desejo de jogar na seleção da Rússia.

Welliton tem grandes chances de ser o primeiro atleta nascido fora das repúblicas da antiga União Soviética a jogar na equipe russa.

O brasileiro é um dos grandes destaques da atual temporada do futebol russo. Ele fez três gols nas duas últimas partidas e é o artilheiro da liga do país com 13 gols.

"É a primeira vez em minha vida que faço três gols em duas partidas consecutivas. Fiquei sabendo que a última foi a mais rápida da história do futebol russo. Não tenho a intenção de bater recordes, mas este me deixou feliz", disse Welliton, em referência aos três gols anotados em apenas seis minutos.

O brasileiro foi o artilheiro do último campeonato russo, com 21 gols, e o Spartak vice-campeão.

O atacante de 23 anos, que começou a carreira no Goiás, chegou ao Spartak en 2007 e anotou 31 gols em 50 partidas pelo clube moscovita antes do início da atual temporada.

O ex-técnico da seleção russa, o holandês Guus Hiddink, não respondeu ao desejo de Welliton de jogar pela Rússia.

O atual treinador, o também holandês Dick Advocaat, tampouco se manifestou, apesar do brasileiro ser considerado por muitos um jogador melhor que os atuais atacantes da seleção, Roman Pavlyuchenko, Pavel Pogrebnyak e Alexander Bukharov.

Os comentaristas russos são unânimes em defender a convocação de Welliton e sonham com um ataque formado pelo brasileiro e por Andrei Arshavin, jogador do Arsenal da Inglaterra.

"Acho que Welliton deixaria a seleção russa mais forte. Ele é o melhor atacante da liga russa", afirmou Miroslav Romashchenko, companheiro de equipe do brasileiro no Spartak.

"Advocaat já disse que prefere jogar com dois atacante, um alto e um pequeno. Welliton é no momento a melhor opção para a posição de atacante pequeno", completou.

A legislação russa permite a Welliton, que vive há mais de três anos na Rússia, jogar pela seleção se for convocado. A opinião pública também está do lado do brasileiro. Agora falta apenas o chamado do técnico.