Zagueiro do Fluminense minimiza aproximação do Corinthians

Rodrigo Viga, Portal Terra

RIO DE JANEIRO - A redução da vantagem sobre o Corinthians na liderança do Campeonato Brasileiro não assusta o Fluminense. Após os resultados da rodada do final de semana, a "gordura" de dois pontos sobre o rival paulista é encarada com naturalidade e tranquilidade nas Laranjeiras.

"O Fluminense está forte e vai continuar. Faremos de tudo para nos mantermos na primeira colocação", avisou o zagueiro Gum, titular da zaga tricolor, em entrevista ao Terra.

Para o jogador, a oscilação no Brasileiro é normal, tendo em vista a fórmula de disputa por pontos corridos. A vantagem sobre os corintianos caiu para dois pontos com o empate por 2 a 2 no clássico contra o Vasco, aliado à vitória do Corinthians sobre o São Paulo por 3 a 0.

"O campeonato é forte e difícil. Um dia a gente ganha e o Corinthians perde. É um duelo particular e são duas equipes que vêm melhor nesse momento do campeonato. Temos que focar o campeonato todo. Temos que ser fortes até o fim", disse o defensor.

O time tricolor está na ponta da tabela mesmo sem poder usar a chamada "força máxima". O atacante Fred ainda se recupera de uma lesão na panturrilha e o polivalente Belletti também trata um problema muscular causado pela longa inatividade. Já o luso-brasileiro Deco, que ainda está fora de forma, entrou na metade do segundo tempo contra o Vasco e teve boa atuação.

Gum tem se mostrado um zagueiro artilheiro. Desde que veio da Ponte Preta para o Fluminense, depois de ser disputado em 2009 por grandes clubes do Brasil, o jogador tem se apresentado como boa opção de ataque, principalmente para as jogadas aéreas.

Ele já marcou três gols na temporada e, no domingo, foi o autor do primeiro gol do Fluminense no empate com o Vasco. "Sempre fui zagueiro de chegada, e com o professor Muricy a bola parada é um arma forte. Já era de se esperar um jogo difícil, mas não perdemos e mostramos que somos fortes. Estamos bem postados e nos mantemos na frente com folga. O campeonato não vai ser decidido com um jogo", avaliou.