"É lindo tirar o Brasil de qualquer torneio", dizem argentinos

Portal Terra

BUENOS AIRES - A torcida argentina está em festa nesta quarta-feira, um dia depois de lotar o Estádio Monumental e assistir ao massacre da seleção do país sobre os atuais campeões mundiais por 4 a 1, em partida amistosa. No entanto, o show sobre a Espanha não foi o único motivo de alegria para os fãs, como mostra o jornal Olé, que cita também a vitória sobre o Brasil no Mundial de Basquete e a "festa dupla" que tomou conta de Buenos Aires.

Nesta quarta-feira, os heróis argentinos foram as figuras de Luis Scola e Lionel Messi, que ganharam destaque na imprensa nacional. Enquanto o armador anotou sozinho 37 pontos contra o time verde e amarelo, o astro do Barcelona deu dribles desconcertantes, passes precisos, grandes arrancadas e fez um golaço que abriu o placar do massacre que carimbou a faixa dos campeões mundiais. Na festa, não faltaram provocação para aos maiores rivais.

"Quer coisa mais linda que tirar o Brasil de um Mundial?", pergunta o jornal. "Das mãos de Scola, a seleção ganhou o clássico das oitavas e na sexta joga contra a Lituânia. Ao mesmo tempo, em Núñez, Argentina venceu com golaço de Messi e liquidou a Espanha: 4 a 1", comemora a publicação, que lembra que nas arquibancadas do Monumental, pouco antes do início da partida contra os espanhóis, o principal assunto ainda era a emocionante vitória sobre os maiores rivais. "Festejavam cada tiro de Scola, o craque, como se fosse um gol de Messi".

O diário ainda cita as diferenças das festas, chamado de "prazer furioso", e as distintas emoções sentidas pelo torcedor. "A diferença entre o apertado triunfo sobre o Brasil no Mundial (quer coisa mais linda que eliminá-los de qualquer competição?) e o 4 a 1 sobre a Espanha foi um arranque feroz, gerando mais calma, mais leve comparando com os nervos do basquete", afirmou. Para finalizar, o Olé ainda exaltou mais uma vez a "geração dourada" do basquete argentino e disse que os fãs podem sonhar com voos mais altos. "Agora, mesmo sem Ginóbili, sem Nocioni, por que não sonhar com mais na Turquía 2010?".