Novo técnico do São Paulo pede calma para ver "reais necessidades"

Portal Terra

S O PAULO - Diminuir a distância entre Cotia, onde se localiza o Centro de Treinamento das categorias de base, e a Barra Funda, local no qual trabalha o elenco profissional. Esse parece ser o maior sinal da diretoria do São Paulo ao confirmar Sérgio Baresi, treinador dos juniores, como o comandante do clube tricolor para a sequência do Campeonato Brasileiro.

A conversa com a direção são-paulina, porém, foi bastante rápida, explicou Sérgio Baresi em entrevista exclusiva ao Terra. Por isso, ele pede calma em vários aspectos. É precavido em falar do momento psicológico do grupo, do que poderá fazer ao lado do auxiliar Mílton Cruz e do que o São Paulo vai buscar no Brasileiro. Atualmente, a equipe ocupa o 12º lugar, com apenas 16 pontos somados.

Dono de trajetória meteórica como treinador, Baresi tem 37 anos e foi jogador do próprio São Paulo. Ao lado de Rogério Ceni, subiu ao elenco profissional, onde não teve vida tão longa. Como treinador, foi contratado para o time Sub-20 e entregou o título da Copa São Paulo em janeiro.

Confira a entrevista com Sérgio Baresi na íntegra:

Terra - Você e Mílton Cruz sempre se comunicaram muito, com ele observando o teu trabalho nos juniores. O que foi conversado para o resto do ano com os profissionais?

Sérgio Baresi - Agora, nossa preocupação não é nem nosso relacionamento. A preocupação maior é com o São Paulo, Vamos focar nisso. Assim, a probalidade de conseguir as coisas é maior.

Terra - Então quais são os objetivos de vocês para o São Paulo? Ainda há 25 rodadas por jogar...

Baresi - O São Paulo sempre busca o melhor resultado. Tenho certeza que vai buscar nesse instante também. Mas obviamente vamos pensar passo a passo.

Terra - O momento psicológico do grupo é delicado após a queda contra o Internacional na quarta-feira (pela Copa Libertadores das América). Como se faz para reverter tudo isso?

Baresi - A minha observação é sempre por fora, porque não trabalhamos no dia a dia. A partir de amanhã vou ter um diagnóstico maior. A nossa conversa foi mais para assumir o cargo de treinador interino, ficamos nisso. Assumo amanhã (terça) e entramos nesse papo. Já vamos começar a trabalhar e ver realmente como podemos ajudar o São Paulo.

Terra - Sua chegada ao cargo é um sinal de que, enfim, os jogadores da categoria de base serão aproveitados?

Baresi - Nesse primeiro momento temos de ter muita calma. É o momento de conhecer o elenco de perto, ver nossas reais necessidades e em cima da minha análise termos uma tendência do que pretendemos para o futuro.