Não dá para crucificar Dagoberto, diz Ricardo Oliveira

Portal Terra

DA REDAÇ O - O atacante Ricardo Oliveira saiu em defesa de Dagoberto, seu companheiro de posição no São Paulo. Em entrevista ao Terra TV, o jogador disse ser impossível "crucificar" apenas um jogador do time após a eliminação da equipe diante do Inter na Libertadores, e afirmou que toda a equipe atuou abaixo do que se esperava.

"(Dagoberto) não joga sozinho. Futebol é coletivo. Todos nós temos nossa parcela de culpa, e isso nós sabemos. O que nós não concordamos é pegar um jogador e crucificar", disse Ricardo Oliveira após o treino desta quarta-feira no CCT da Barra Funda, acreditando em recuperação da boa fase de seu colega de equipe, cuja saída foi recentemente especulada.

"Você acha que ele esqueceu de jogar bola? Com a qualidade que ele tem? Não dá, é um time todo. Ele é um excelente jogador. Infelizmente, está passando por um momento difícil. Acho que, de certa forma, escolher uma pessoa só não é justo. Podemos errar, nos equivocar, mas temos que colocar todo mundo. Quem jogou bem no Sul? Ninguém. Não dá para a gente apontar um. Tenho certeza de que, ficando com a gente, ele vai voltar a jogar, vai ajudar nosso time", afirmou ainda o jogador.

Na partida em Porto Alegre pelas semifinais da Libertadores, o São Paulo - ainda comandado por Ricardo Gomes - foi derrotado por 1 a 0. Com uma postura defensiva, o time pouco atacou. No jogo de volta, os são-paulinos venceram por 2 a 1 no Morumbi, mas foram eliminados graças ao critério de desempate - o gol marcado fora de casa pelos gaúchos.

Ricardo Oliveira ainda fez questão de elogiar Sérgio Baresi, sucessor de Ricardo Gomes à frente da equipe. Segundo ele, a mudança de ares foi proveitosa para os jogadores, e o novo treinador tem sido "excelente" ao conseguir um diálogo aberto com o elenco desde que assumiu a função.

"É um cara que ajuda o jogador no sentido de dialogar, de conversar, de dar alguns toques", disse o atacante, destacando o "ambiente descontraído, mas com responsabilidade" para o clássico do domingo contra o Corinthians, às 18h30. "Sabemos que é um jogo importante, contra um grande time. Se der tudo certo e a gente ganhar esse jogo, pode ser um jogo para dar uma arrancada dentro da competição. É um jogo complicado, mas em se tratando de um clássico com a importância desse, é aberto para os dois times", completou.