Em crise e sem técnico, São Paulo encara Atlético-PR

Portal Terra

CURITIBA - Acabou a Copa Libertadores para o São Paulo e a consequência é o fim também de um ciclo no time tricolor. Depois da dispensa do técnico Ricardo Gomes, que será substituído pelo interino Milton Cruz, o clube tenta se reerguer e retomar o caminho em meio à crise deflagrada pela eliminação. A nova realidade do hexacampeão nacional começa na noite deste domingo, às 18h30, contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada.

Depois de dar adeus ao torneio continental diante do Internacional, o São Paulo não tem muito tempo para lamentar no Campeonato Brasileiro e, por isso, necessita do resultado positivo já diante dos paranaenses.

"Não fiz contrato (até dezembro) com o São Paulo só para jogar a Libertadores. Minha vida segue. Temos que levantar a cabeça, porque o Brasileiro está aí e não deve ser desprezado. Precisamos recuperar os pontos que perdemos", avisa o atacante Ricardo Oliveira, que chegou à equipe paulista principalmente para a reta final do torneio continental.

As consequências da eliminação vão além da saída de Ricardo Gomes. Hernanes também deu adeus ao clube, negociado com a Lazio. Já Dagoberto, que foi criticado pelos dirigentes nos bastidores por sua atuação contra o Inter, sequer foi relacionado para o duelo em Curitiba.

Para complicar ainda mais o clube, Alex Silva teve constatada uma pequena lesão no joelho direito e está fora do jogo. O pior é que seu substituto imediato, Xandão, foi vetado por conta de dores no tornozelo direito. Com isso, Milton Cruz deve formar o time com três zagueiros, apostando em Renato Silva e Samuel no setor com Miranda.

Com 15 pontos, o São Paulo está na parte intermediária da tabela e qualquer vacilo pode derrubá-lo para perto da zona de rebaixamento. Por outro lado, um triunfo pode levá-lo para perto do pelotão de frente. Mesmo em meio à crise, Milton Cruz sonha com a primeira vitória do time tricolor na Arena da Baixada (o retrospecto é de oito derrotas e quatro empates no estádio).

"Sempre que assumi, os jogadores se dedicaram ao máximo. Nunca ganhamos na Arena, mas quem sabe possa ser a primeira vitória neste domingo", comentou.

Do outro lado, vindo de uma derrota para o Fluminense, que interrompeu a ascensão do time, que havia realizado duas grandes partidas diante de Santos e Goiás, o Atlético-PR precisa dos três pontos diante de seu torcedor para não reabrir o processo de crise na Baixada e, principalmente, para se afastar do fantasma da zona de rebaixamento. Para isso, o técnico Paulo César Carpegiani será obrigado a mexer na equipe rubro-negra.

No ataque, o artilheiro atleticano, Bruno Mineiro, terá que cumprir suspensão automática e está fora da partida. A boa notícia fica por conta da liberação de Nieto, cujo nome apareceu no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF. Na lateral direita o problema é Wagner Diniz, que por questões contratuais não poderá enfrentar o time tricolor. Neste caso, o treinador terá que apelar para o improviso, possivelmente com o zagueiro Leandro fazendo a função.

A principal mudança de Carpegiani, no entanto, será na postura da defesa e na atenção do setor, que mostrou algumas falhas no Maracanã. "Acho que falta continuidade e consistência da parte defensiva. No segundo tempo do último jogo, sofremos muitos contra-ataques, mas isso porque fomos para o ataque. Mesmo assim, tivemos alguns erros e temos que corrigir esses erros. Mas isso vem com o amadurecimento da equipe. Vamos progredir nesse setor", finalizou.