Demitido, Silas valoriza título gaúcho e torce pelo Grêmio

Portal Terra

S O PAULO - De saída do Grêmio, o treinador Silas fez questão de valorizar pontos positivos que alcançou no comando do clube em sete meses e mais alguns dias de trabalho. Em entrevista coletiva concedida ao lado do presidente Duda Kroeff afirmou ainda que torcerá pela recuperação da equipe gremista no Campeonato Brasileiro.

"Não vou embora de mãos vazias, ganhamos o Gauchão, que para alguns não vale nada, mas para mim não vale muito, e tivemos uma bela campanha na Copa do Brasil, uma vitória no Beira-Rio. Não estou acostumado com esse momento, mas estou com o futebol e vivo nisso há 30 anos. Para mim, trocar de clube não é natural, não é um momento fácil", disse o treinador, antes de projetar boa sequência para o Grêmio.

"Nunca existiu pressão de fora para dentro ou de dentro para fora. A decisão não é para prejudicar minha carreira, mas para dar um gás para o time. Torço muito para o Grêmio, que foi um clube nesses sete meses que em nada deixou faltar condições de trabalho para nós. Saio muito mais forte que quando cheguei", declarou.

A possibilidade de trocar o Grêmio pelo São Paulo também foi negada com veemência pelo treinador, que já em sua chegada para a entrevista coletiva tomou a palavra e criticou a divulgação da notícia.

"Gostaria de esclarecer que plantaram uma mentira, não sei se maldosa ou não, mas plantaram e prejudicou muito esse jogo de hoje, o dia, dizendo que eu já tinha me despedido dos atletas na palestra para ir pra lá. O São Paulo não me convidou, tem ética, como o Grêmio tem e eu tenho. Uma vez assinado contrato com o Grêmio, seria covardia da minha parte deixar os atletas, o presidente e o grupo em um momento como esse".