Sul-africanos questionam escolhas e corte de "gordinho"

Portal Terra

JOHANNESBURGO - Após o anúncio desta terça-feira da seleção da África do Sul, a realidade de uma campanha da Copa do Mundo sem Benni McCarthy, cortado por estar acima do peso, começou a repercutir no país-sede do Mundial. A impressão é que a ansiedade aumentou para o jogo de estreia.

O site Sport 24 questiona as escolhas do técnico Carlos Alberto Parreira. As exclusões surpresas incluem não só a de McCarthy, ídolo do time, mas também o goleiro Rowen Fernandez, o meia Sundowns Franklin Cale e o zagueiro Bryce Moon.

Especialistas acreditam que estas ausências fazem sentido, mas há também alguns aspectos preocupantes. A principal preocupação passa pela defesa. Como cinco dos oito defensores (Siyabonga Sangweni, Matthew Booth, Aaron Mokoena, Bongani Khumalo e Anele Ngonga) são todos especialistas em jogar pelo meio, a imprensa acredita que poderia expor a África do Sul, principalmente se Graxa ou Masilela se contundirem.

Ainda segundo a análise, o meio de campo é forte, com Steven Pienaar, Simphiwe Tshabalala, Teko Modise Surprise Moriri, todos com características de toque de bola, uma exigência de Parreira.

Os sul-africanos contam com o ritmo e a visão de jogo de Pienaar, que certamente traz sua experiência europeia para o Mundial.

Desta forma, embora pareça que a equipe tem mesmo os melhores jogadores em atividade, não parece ser o caso de se esperar uma grande campanha dos donos da casa. Todos no país temem muito o Grupo A e, por isso, começam a questionar as escolhas do brasileiro.

A África do Sul está junto a Uruguai, França e México.