Mercadante inicia movimento para indicar Lula ao Nobel da Paz

Portal Terra

SÃO PAULO - Em pleno período de pré-eleitoral, o senador petista e pré-candidato ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante, redigiu uma petição que será encaminhada ao Comitê Nobel Norueguês, sugerindo que o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva seja agraciado com o prêmio Nobel da Paz em 2011. O documento com as justificativas do pedido tem quatro páginas e Mercadante pretende que ele seja assinado por autoridades, chefes de Estado, parlamentares e entidades de diversas partes do mundo.

O pedido tem prazo de entrega até fevereiro do ano que vem para que possa ser avaliado pelo comitê. "O presidente Lula é um exemplo de empenho pela democracia e por sua luta incansável contra a pobreza. Além disso, sempre foi o seu desejo uma ordem mundial mais justa", disse Mercadante a uma platéia petista durante o 1º Encontro Estadual de Vereadores do PT-SP. O último ganhador do Nobel da Paz foi o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em outubro de 2009. O prêmio é concedido desde 1901.

No texto, Mercadante exalta o bom desempenho obtido por Lula nos indicadores sociais brasileiros. "As ações de Luiz Inácio Lula da Silva têm a marca inconfundível da busca pela paz e a justiça social. No Brasil, o seu governo teve êxito na luta contra a fome e na retirada da pobreza de cerca de 20 milhões de pessoas. Com isso, o Brasil antecipou em sete anos o cumprimento da Meta do Milênio de reduzir a pobreza extrema à metade", afirmou.

O documento ressalta que durante a gestão de Lula, o Brasil combinou crescimento econômico e distribuição de renda. "Graças a programas sociais bem-sucedidos, como o Bolsa Família, o incremento real do salário mínimo e o crédito facilitado para os segmentos mais pobres, milhões pessoas ascenderam à classe média, dinamizando um mercado de consumo de massa que foi fundamental para resistir à crise mundial".

Com a ressalva da incerteza em relação ao acordo mediado pelo Brasil e pela Turquia com o Irã, na questão nuclear, o documento diz que deve-se reconhecer que ele marca uma promissora etapa da geopolítica mundial. "Embora as intenções impressas no referido Memorando possam não frutificar, é necessário enfatizar que o acordo alcançado pelo Brasil e a Turquia, dois países emergentes, demonstra que o surgimento de novos atores no cenário global abre perspectivas muito positivas para a solução de antigos conflitos que ameaçam a paz mundial".

De acordo com o texto, a atuação de Luiz Inácio Lula da Silva tem também a marca do seu compromisso "férreo" com a democracia e a solução negociada dos conflitos. "Desde o tempo em que era líder sindical, Lula se bateu, no Brasil, pelas eleições diretas, pela liberdade de expressão e de opinião, pelo direito à reunião e por todas as liberdades e direitos que conformam uma verdadeira a democracia. Além disso, já na condição de presidente da república, Luiz Inácio Lula da Silva pautou seu governo pelo irrestrito respeito aos demais poderes e pela transparência no trato da coisa pública".