Com dancinha e pescaria, Corinthians faz 4 e bate Santos

Portal Terra

SÃO PAULO - O Corinthians teve neste domingo sua revanche pela derrota diante do Santos na primeira fase do Campeonato Paulista de 2010. Com direito a comemorações que incluíram imitação das dancinhas santistas e simulações de "pescaria", o time do Parque São Jorge venceu o clássico válido pelo Campeonato Brasileiro por 4 a 2, no Pacaembu. Jorge Henrique, Bruno César, Ralf e Paulinho fizeram para a equipe de Mano Menezes; André e Marcel descontaram.

O resultado deixa o Corinthians com larga vantagem na liderança, agora com 13 pontos ganhos. O próximo adversário é o Internacional, na quinta-feira. Já o Santos, que perdeu a invencibilidade na competição e segue com 8 pontos, tentará se reabilitar contra o Cruzeiro, quarta-feira, no Mineirão.

Boa parte da torcida corintiana ainda estava embaixo do "bandeirão" quando a equipe comandada por Mano Menezes abriu o placar no Pacaembu. A 1min de partida, o meia Bruno César arriscou um chute forte de fora da área, e o goleiro Felipe deu rebote. Jorge Henrique aproveitou e conferiu.

Os jogadores do Corinthians correram em direção à torcida para dançar - uma clara resposta à maneira como os santistas comemoram os seus gols. Com a bola rolando, o time da casa também estava bem coreografado. A opção por escalar dois armadores (Bruno César e Danilo) aumentou o poder de criação diante do Santos.

A escolha de Mano parecia ser tão acertada que só o Corinthians atacou nos primeiros minutos. Aos 15min, Jorge Henrique quase ampliou. O atacante, que havia reclamado da reserva e voltou a barrar Defederico, dividiu com a zaga adversária para escorar de cabeça um cruzamento de Roberto Carlos. A bola parou no travessão.

O Corinthians também estava seguro na defesa. Ralf se posicionou como um terceiro zagueiro e deu proteção ao time. Chicão não se intimidou com a ameaça de Neymar de repetir o chapéu que aplicou no clássico passado, com o jogo paralisado. Diante do atacante, o zagueiro matou a bola no peito, deu um bico para frente e foi aplaudido.

O Santos só conseguiu melhorar depois dos 20min, quando Paulo Henrique Ganso passou a ser mais eficiente. Aos 27min, Neymar rolou a bola para Marquinhos, e Felipe fez grande defesa. A zaga do Corinthians se atrapalhou na sequência, e o meia chutou para o gol. Porém, o assistente já havia marcado um polêmico impedimento.

O lance revoltou o time visitante. Enquanto Dorival Júnior protestava constantemente à beira do gramado, seu colega Mano Menezes sorria tranquilamente no banco de reservas do Corinthians. O Santos tentou trazer mais preocupação ao treinador rival no final do primeiro tempo, na base da velocidade de sua dupla de ataque.

Aos 38min, Chicão voltou a vencer uma disputa com Neymar. O santista arriscou da entrada da área, com Felipe batido no lance. Sereno, o zagueiro afastou de cabeça para salvar a sua equipe.

O Santos retornou para o segundo tempo ainda incomodado. Os jogadores não haviam aceitado um suposto tapa de William em Wesley. E Dorival não se cansou de reclamar do árbitro Sálvio Spinola Fagundes Filho. Quem precisou entrar em ação, no entanto, foi Mano: Jorge Henrique se contundiu e saiu ovacionado para a entrada de Iarley.

Logo em seguida, o Santos empatou. Aos 7min, Marquinhos rolou a bola para André bater cruzado para o gol. O atacante chamou os seus companheiros na direção da torcida organizada do Corinthians: sentaram no gramado e festejaram de maneira irreverente. Mas a festa dos visitantes no Pacaembu durou pouco.

O Corinthians recuperou a vantagem no placar no minuto seguinte. O lateral direito improvisado Jucilei fez um bom cruzamento na área. A bola ficou com Bruno César, que chutou com violência para restabelecer a vantagem corintiana. Desta vez, não houve espaço para comemorações ensaiadas.

Dorival tentou reanimar o Santos com Madson e Marcel nos lugares de Neymar (que deixou o campo irritado, sem cumprimentar o companheiro) e Pará. Não adiantou. Aos 22min, Ralf mostrou passou pela defesa santista com categoria e chutou no canto. Ele e seus companheiros "fisgaram o peixe" durante a vibração, simulando uma pescaria.

Quando a torcida já gritava "olé" e Mano Menezes estava mais preocupado com a marcação, Paulinho desrespeitou a ordem de ajudar a defesa. O volante, que havia substituído o elogiado Bruno César, deu uma cabeçada para ampliar aos 40min. Em seguida, Marcel diminuiu para o Santos, também pelo alto, mas era tarde para uma reação.

FICHA TÉCNICA

Corinthians 4 x 2 Santos

Gols

Corinthians: Jorge Henrique, a 1min do 1º tempo; Bruno César, aos 8min, Ralf, aos 22min, e Paulinho, aos 40min do 2º tempo

Santos: André, aos 7min, e Marcel, aos 42min do 2º tempo

Esquema Tático do Corinthians

4-4-2

Felipe; Jucilei, Chicão, William e Roberto Carlos; Ralf, Elias, Danilo e Bruno César (Paulinho); Jorge Henrique (Iarley) e Dentinho (Paulo André). Técnico: Mano Menezes

Esquema Tático do Santos

4-4-2

Felipe; Pará (Marcel), Edu Dracena (Zezinho), Durval e Léo; Arouca, Wesley, Marquinhos e Paulo Henrique Ganso; Neymar (Madson) e André. Técnico: Dorival Júnior

Cartões amarelos

Corinthians: Chicão, William e Bruno César

Santos: Neymar

Árbitro

Sálvio Spinola Fagundes Filho (SP)

Local

Estádio do Pacaembu, São Paulo (SP)