Brasileiro marca em vitória da Alemanha e fica perto da Copa

JB Online

DA REDAÇÃO - Na reedição da final da Copa do Mundo de 1954, Hungria e Alemanha protagonizaram um jogo bem menos equilibrado do que a histórica decisão daquele Mundial, quando os alemães ocidentais venceram uma seleção superior tecnicamente por 3 a 2. No amistoso disputado neste sábado, no Estádio Ferenc Puskas, em Budapeste (HUN), os tricampeões mundiais não precisaram de muito esforço para vencer por 3 a 0 - de novo, com um gol do brasileiro Cacau, que jogou bem e se aproximou de uma vaga entre os 23 convocados finais.

A Alemanha, que ainda enfrenta a Bósnia em amistoso antes da Copa do Mundo da África do Sul, é a cabeça de chave do Grupo D e vai encarar a Austrália na estreia. Gana e Sérvia são as seleções que completam a chave. Já a Hungria não se classificou para o Mundial.

Jogando com três atletas de movimentação - Trochowski, Özil e Podolski - se aproximando do atacante Klose, a Alemanha começou melhor e abriu o placar logo aos 4min. O centroavante húngaro Torghelle puxou o alemão Mertesacker dentro da área em cobrança de escanteio, e Podolski bateu o pênalti no ângulo do goleiro Kiraly para abrir o placar.

Em vantagem, a seleção visitante passou a pressionar a saída de bola dos húngaros, que não conseguiam subir para o ataque. Aos 10min, Trochowski e Kroos fizeram bonita tabela, mas Kiraly salvou o chute forte de dentro da área com uma excelente defesa. O toque de bola alemão voltou a funcionar aos 16min, quando Özil recebeu na frenta do gol e obrigou o goleiro do time da casa a outra defesa sensacional.

Sem inspiração e com Torghelle isolado na frente, a Hungria só chegava com chutes de longe, mas sem ameaçar o goleiro Neuer. Já a Alemanha colocava a bola no chão e criava chances. Aos 32min, após mais uma troca rápida de passes, Klose recebeu na área, mas finalizou por cima da meta. Aos 41min, novamente Özil perdeu a chance de ampliar ao chutar em cima de Kiraly.

Na volta do intervalo, o técnico Joachim Löw promoveu a entrada do brasileiro naturalizado Cacau no lugar de Özil, recuando Podolski para o meio. O volante Khedira também deu lugar a Aogo, em posição que ficou carente após a contusão do capitão Ballack. A Hungria começou a segunda etapa mais ligada e assustou aos 5min, em finalização perigosa de Dzsudzsak após falha do lateral direito Boateng.

Em ritmo mais lento, a Alemanha logo fez mais duas alterações: saíram Klose e Trochowski para as entradas de Mario Gómez e Marin. Aos 19min, Cacau quase marcou de letra após cruzamento de Boateng, mas mandou para fora. O marasmo do segundo tempo foi quebrado só aos 23min, quando os visitantes ampliaram o marcador. Marin desceu pelo meio em velocidade e rolou para Mario Gomez, que dividiu com o goleiro chutou de bico para as redes.

O terceiro gol não demorou a sair. Aos 27min, Cacau ganhou na velocidade do zagueiro adversário, passou também pelo goleiro e tocou para o gol vazio. A Alemanha passou a tocar a bola e ameaçou algumas vezes, principalmente em chegadas do habilidoso meia Marin, mas a última chance do jogo foi húngara: Dzsudzsak pegou rebote de Neuer e chutou por cima, perdendo a chance de diminuir o prejuízo já no fim da partdia.