De bom humor, Dunga diz que seu trabalho é resolver dificuldades

Jornal do Brasil

JOANESBURGO - Com a Seleção, Dunga tem 77% de aproveitamento. Em 53 jogos, venceu 37, empatou 11 e perdeu cinco. Com ele à frente do time, foram dois títulos: o da Copa América em 2007 e o da Copa das Confederações, ano passado. Tendo o treinador no comando, o Brasil terminou as Eliminatórias da Copa do Mundo em primeiro. Apesar do retrospecto de sucesso, na primeira empreitada do gaúcho de 46 anos como técnico, Dunga sempre busca encontrar problemas. Palavras do próprio capitão do tetra, nos EUA, em 1994.

A sede de vencer é a mesma sempre. Minha especialidade é encontrar problemas. Faz parte do trabalho disse Dunga, na primeira entrevista nesta preparação para o Mundial da África do Sul, em Joanesburgo, onde a equipe desembarcou, quinta-feira, às 2h (de Brasília).

Para o treinador, a busca pela perfeição é seu norte:

Eu penso na Seleção. Meu temperamento é este. Eu digo na frente afirmou Dunga. Chego aqui e falo, não espero sair para ficar falando. Cheguei aqui e não encontrei o muro que mandei construir. Cadê o muro que eu mandei construir?

A tal parede a que ele se refere deveria ter três metros e separaria a ala dos jogadores no hotel do RandPark, campo de golfe que abriga o empreendimento. O muro serviria para dar mais privacidade à Seleção, que conta com isolamento quase total desde os treinos em Curitiba, onde a equipe passou seis dias antes de rumar à África do Sul.

Sorridente, como poucas vezes esteve no contato com jornalistas, Dunga falou pela primeira vez desde que o grupo se reuniu para a Copa, na sexta-feira passada, na capital paranaense. Até nas entrevistas, a blindagem é a tônica.

Mesmo assim, Dunga, que fez cursos de treinamento para lidar com a imprensa, lembrou as críticas que sofreu. E, num leve de desabafo, respondeu a quem o questionou.

Falavam do meu português, da minha roupa, cada dia tinha uma história diferente. Uma hora atacam sua família para ver se te desequilibram. Mas comigo vai ser difícil.

Sobre as comparações com a Seleção de 1994, da qual foi capitão, o técnico destaca a semelhança em dois quesitos: espírito e alegria. Acrescenta que a equipe campeão nos EUA, há 16 anos, enfrentava maior descrença da torcida.

Essa cobrança entre eles próprios é outro ponto em comum entre os jogadores. Eles lutam por vaga com respeito e admiração disse Dunga.

Técnico garante Kaká

Diante das dúvidas em relação a Kaká, que convive com problemas físicos nesta temporada, Dunga releva. Diz que seu camisa 10 estará pronto. Kaká teve inflamação no púbis, que o afastou do Real Madrid por 40 dias. Depois, retornou, disputou dois jogos pelo clube merengue e sofreu com dores musculares na coxa esquerda. Desde 8 de maio, ele não toca na bola.

Como ele passou um bom tempo sem treinar pelas lesões é normal que não esteja em condições iguais aos demais. Estamos dosando a forma dele trabalhar.

O treinador ressaltou a responsabilidade de jogar a Copa.

Estamos muito motivados para realizar nosso trabalho e iniciar a competição declarou. Sabemos que tudo o que fizemos até agora vai ser medido nesta competição. Se não ganhar a próxima, vão dizer o que sempre se diz por aí, não deu e o trabalho não foi bom.

Nos amistosos contra Zimbábue, no dia 2, e Tanzânia, no dia 7, Dunga contou que pretende aprimorar o jogo coletivo da Seleção, que não atua desde 2 de março, nos 2 a 0 sobre a Irlanda, em Londres.

Para vencer, qualquer equipe tem que ter a parte coletiva. É preciso aliar o talento à competitividade para poder vencer. Nós temos estrelas aqui, mas a equipe tem que jogar em campo. O que manda realmente é o campo. Não adianta estudar o ano inteiro e, quando chega a prova, ficar reprovado.

Sexo na berlinda

Dunga comunga, em parte, da cartilha de Maradona, que permitiu sexo, vinho, churrasco e doce de leite na concentração argentina para a Copa. O técnico da Seleção disse que seus comandados terão folga e alguns mimos com moderação.

Quando a carga de trabalho estiver deixando os jogadores mais tensos, daremos folgas normalmente anunciou Dunga. Não tem problema a visita da família e de amigos. O importante é deixar tudo combinado, porque o combinado não sai caro.

Sobre sexo, a resposta veio ao estilo Dunga de comandar:

Quando cada um estiver livre, cada um tem gosto de fazer alguma coisa. Nem todos gostam de sexo, de vinho ou sorvete. Temos que respeitar a individualidade de cada um.

Kaká ganha no videogame

No videogame, permitido por Dunga, Kaká e Julio Baptista formaram dupla contra Luis Fabiano e Felipe Melo. Após o jantar, o camisa 10, como contou no Twitter, venceu duas e empatou outra partida no 2010 Fifa World Cup South Africa.