Atacantes e defensores comentam fim da paradinha nos pênaltis

Israel Stroh, Portal Terra

SÃO PAULO - A "paradinha" confronta opiniões entre atacantes e goleiros até depois que o recurso foi proibido pela Fifa. Nesta terça-feira, dia em que a organização máxima do futebol mundial não permitiu a jogada, jogadores, técnicos e ex-atletas divergiram ao falar sobre a decisão.

Quem tenta evitar o gol em uma penalidade máxima criticou a paradinha, que diminui as já remotas chances do goleiro em defender uma cobrança. Já os atacantes falaram que o recurso proibido é um dos requintes do futebol e, em cobranças de pênalti, o batedor deveria ser favorecido, já que a defesa usou o artifício da falta para interromper o ataque.

Veja o que cada entrevistado disse à reportagem do Terra:

Boquita, meia do Corinthians: "Tinha que deixar a paradinha. Se fez o pênalti tinha de sair o gol, tem de beneficiar quem sofreu a falta, no caso, o atacante. É um lance bonito no futebol e não poderia acabar, é um brilho que foi tirado".

Philippe Coutinho, meia do Vasco: "Se tomaram essa decisão temos de nos adequar. Eu gostava de usar, é uma vantagem para o cobrador. Com a proibição, só quem sai ganhando é o goleiro".

Léo, lateral esquerdo do Santos: "Eu acho que existem coisas mais importantes no futebol para serem discutidas. Na minha opinião, a paradinha é um recurso do bom jogador".

William, atacante do Grêmio : "Sempre gostei de bater pênalti e não concordo com a paradinha. Sou de acordo com o veto da Fifa. A cobrança deve ser rápida e direta. Já é complicado para o goleiro definir o lado de cair, está a poucos metros da bola, então a paradinha dificultava ainda mais e não concordava. Sempre bati direto e não usava esse recurso".

Zetti, ex-goleiro do São Paulo: "Já era esperada essa decisão por causa da Copa do Mundo e porque no Brasil isso ficou um exagero. Do jeito que vem acontecendo, de esperar o goleiro cair para chutar, virou "pelada", virou "rachão". Tira muito as condições do goleiro".

Sérgio Guedes,ex-goleiro do Santos e técnico de futebol: "O goleiro não consegue defender um pênalti sem se movimentar. Ele se mexe geralmente em diagonal, mas com a paradinha ele obrigatoriamente se adianta. Pode até permitir a parada, desde que permita também a movimentação do goleiro".

Evair, ex-atacante do Palmeiras: "Não sou contra a paradinha, deixa o futebol mais dinâmico, é um recurso que se aprendeu a usar. Só acho que o árbitro dá pouco pênalti, ainda mais nas bolas alçadas na área".