Fla fracassa no Maracanã e Universidad fica perto da semifinal

Portal Terra

RIO - O Flamengo ficou mais distante das semifinais da Libertadores de 2010. Nesta quarta-feira, mesmo jogando no Maracanã, o time do técnico Rogério Lourenço foi derrotado pela Universidad do Chile-CHI por 3 a 2, se complicando na briga por um lugar entre os quatro melhores clubes da América do Sul.

Em uma partida na qual Adriano e Vagner Love se mostraram pouco produtivos, os chilenos se valeram de sua defesa bem postada e de seus passes eficientes no ataque para surpreender o Maracanã. Surpresa, aliás, que não foi a primeira neste ano, uma vez que o Flamengo sofreu para empatar por 2 a 2 com o próprio time de Gerardo Pelusso em pleno Rio de Janeiro.

O resultado, conquistado com um bom primeiro tempo dos visitantes, obriga o Flamengo a vencer pelos placares de 1 a 0, 2 a 1 ou por dois ou mais gols na partida de volta em Santiago. Um novo 3 a 2 leva o confronto para os pênaltis. Empate ou derrota não estão nos planos rubro-negros.

Mesmo fora de casa, a Universidad de Chile já começou o jogo dando a impressão de que sufocaria o Flamengo. Logo aos 3min do primeiro tempo, Walter Montillo recebeu passe em ótima condição na direita, entrou na área e bateu para o gol - e só não marcou porque Bruno colocou para escanteio. Na cobrança, porém, Mauricio Victorino aproveitou a falha da zaga e apareceu na segunda trave para inaugurar o placar aos 4min.

Apesar do início, o Flamengo não tardou a criar chances, colocando uma bola no travessão aos 11min com Vagner Love e chutando em cima da zaga com Ronaldo Angelim aos 13min. Mas os chilenos responderam novamente com mais perigo, em nova falha da zaga - desta vez, aos 16min, Juan Manuel Olivera chutou fraco e facilitou para Bruno. De quebra, aos 21min, Olivera recebeu ótimo passe de Vargas na área, ganhou da zaga na corrida pela esquerda e só não fez 2 a 0 porque chutou em cima de Bruno.

E quando os chilenos eram melhores, finalmente fizeram o segundo. Aos 23min, após falta levantada na área pela direita, Rafael Olarra dividiu com o goleiro rubro-negro por cima e ampliou de cabeça. Aí, com vantagem, os visitantes passaram a atacar pouco e a ceder espaços para os cariocas, que criaram chances de longe e tardaram a apertar. Quando conseguiram, aos 38min, Kléberson cruzou a bola pela direita na cabeça de Adriano, que nem subiu na área para cabecear e diminuir.

O Flamengo ainda teve três ótimas chances no fim do primeiro tempo, mas deixou a pressão pelo empate para o segundo. Não conseguiu, e ainda sofreu o terceiro gol: logo aos 2min, após cruzamento baixo pela esquerda, Álvaro Fernandez apareceu antes de Bruno para desviar e fazer 3 a 1. Petkovic, que entrou no intervalo, tentou a resposta no minuto seguinte, cruzando a bola para Adriano, que acertou novamente a trave.

A vantagem de dois gols fez com que a Universidad novamente voltasse para a defesa, como havia acontecido no primeiro tempo. E o Flamengo, em meio às vaias e críticas que vinham das arquibancadas, demorou novamente para criar, voltando a apostar nas tentativas de longe. Aos 23min, em chegada à linha de fundo, Petkovic roubou a bola da defesa e cruzou para a área; Adriano subiu no meio da defesa, mas não alcançou.

Quando a partida já se encaminhava para o fim, o Flamengo conseguiu o gol que ânimo à torcida. Aos 43min, Juan pegou a bola na intermediária e arriscou um forte chute; a bola desviou na defesa e enganou o goleiro Miguel Pinto, diminuindo o prejuízo em cima da hora e se reabilitanto da fraca partida que fazia até então.

Derrotado e vaiado, o Flamengo tentará sua reação na próxima quinta-feira, quando enfrenta novamente a Universidad, a partir das 22h15 (horário de Brasília), no Estádio Monumental de Santiago. Antes disso, porém, os rubro-negros têm compromisso pelo Campeonato Brasileiro: no sábado, os atuais campeões enfrentam o Vitória às 18h30 no Barradão, em Salvador, pela segunda rodada da competição nacional.