Possível presença de Obama na Copa é desafio para forças de segurança

Agência AFP

CIDADE DO CABO - A possível visita à África do Sul do presidente americano, Barack Obama, para assistir aos jogos da Copa do Mundo representa um verdadeiro desafio para as forças de segurança, declarou nesta sexta-feira o chefe da polícia, Bheki Cele.

"Estamos rezando para que (os EUA) não cheguem à segunda fase, que sejam eliminados e voltem para casa. Nos disseram que se eles conseguirem passar à segunda ou à terceira fase o presidente americano poderá vir", brincou Cele diante do Parlamento da Cidade do Cabo (sudoeste do país).

De acordo com Cele, em torno de 43 chefes de Estado devem estar presentes no país durante a Copa, a primeira organizada no continente africano, que ocorrerá de 11 de junho a 11 de julho.

Em termos de operações policiais, garantir a segurança de Obama "equivale a proteger os outros 43" líderes, afirmou Cele.

A polícia sul-africana, também encarregada da segurança dos 32 times, enfrenta outro desafio com a equipe da Coreia do Norte, que decidiu treinar antes da Copa no Zimbábue, país vizinho.

Essa decisão, que pode ser explicada pelas relações históricas entre o regime de Pyongyang e o presidente Robert Mugabe, "complica um pouco nosso trabalho", disse Cele. As forças de segurança sul-africanas terão de coordenar seus esforços com seus colegas do Zimbábue.