Alianza apresentará queixa por eliminação 'injusta' para U de Chile

Agência AFP

LIMA - O Alianza Lima apresentará uma queixa à FIFA por considerar que sua eliminação da Copa Libertadores 2010 para a 'U' de Chile se deveu à "nefasta" atuação do juiz equatoriano Carlos Vera, que anulou primeiro e depois validou um gol dos chilenos.

O clube apresentará a queixa à FIFA e à Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) porque o árbitro validou já nos acréscimos do segundo tempo um gol anteriormente anulado, que permitiu que a Universidad de Chile empatasse em 2-2 e se classificasse para as quartas de final do torneio continental, disse seu presidente Guillermo Alarcón nesta sexta-feira às rádios de Lima.

"Sem dúvida, vamos apresentar nossa queixa", enfatizou Alarcón, considerando o árbitro Carlos Vera "medíocre e limitado, que teve uma atuação nefasta" na partida disputada em Santiago.

"Não pode ser possível que um torneio tão prestigioso como a Copa Libertadores tenha árbitros de nível tão baixo, que não estão à altura de uma partida importante", queixou-se, ressaltando que o gol chileno foi marcado com dois jogadores que estavam claramente em posição de impedimento.

A indignação dos dirigentes do Alianza foi compartilhada pela imprensa da capital peruana, que classificou a eliminação do representante do país de "assalto à mão armada" praticado pelo árbitro equatoriano, enquanto a imprensa popular o chamou de "ladrão".

Um grupo de torcedores criou na rede social Facebook uma página denominada "eu também odeio o árbitro que roubou a classificação do Alianza Lima", que rapidamente ganhou cerca de 10.000 adeptos.