COB decreta luto oficial de três dias pela morte de Samaranch

Portal Terra

RIO - O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e o Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016 decretaram luto oficial de três dias pela morte do ex-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) Juan Antonio Samaranch. "Tudo o que temos hoje em termos de Jogos Olímpicos nasceu da visão de Juan Antonio Samaranch. É uma perda irreparável para o esporte mundial", disse o presidente das duas entidades, Carlos Arthur Nuzman.

"Juan Antonio Samaranch transformou a história dos Jogos Olímpicos. De um evento deficitário e sem apelo comercial e de mídia, Samaranch fez dos Jogos Olímpicos o maior espetáculo do planeta, com a disseminação dos valores olímpicos por todo o mundo. Graças à sua visão estratégica, a marca olímpica passou a ser valorizada e a disputa pela sede dos Jogos Olímpicos se transformou numa corrida dos grandes países, inclusive envolvendo líderes mundiais", afirmou Nuzman. "Foi ele também que iniciou a luta contra o doping."

O presidente do COB lembrou que a escolha do Rio de Janeiro como sede da Olimpíada de 2016 partiu de um conselho do ex-presidente do COI. "Ele havia me falado: se o Brasil quer concorrer à sede dos Jogos Olímpicos o País deve, primeiro, sediar um grande evento multiesportivo, como os Jogos Pan-americanos. E tudo correu conforme as sábias palavras de Samaranch", disse.

Na época em que presidia o Conselho Mundial de Vôlei de Praia, Nuzman recebeu Samaranch no Rio de Janeiro para acompanhar o Campeonato Mundial da modalidade: "lembro a participação decisiva que Samaranch teve para a inclusão do voleibol de praia no programa olímpico. Sua vinda ao Rio, em 1993, avalizou a inclusão da modalidade nos Jogos Olímpicos. Recebi conselhos valiosos do ex-presidente do COI e sempre procurei segui-los".

Juan Antonio Samaranch morreu na manhã desta quarta-feira, em Barcelona, aos 89 anos, por causa de uma parada cardíaca. Ele estava internado na UTI do Hospital Quirón desde domingo, por insuficiência cardíaca aguda. Sua última aparição importante foi em Copenhague, em outubro do ano passado, quando apoiou Madri na disputa pelos Jogos de 2016, vencida pelo Rio de Janeiro.